O Grupo PSA vem reafirmar, em conjunto com a France Nature Environnement (FNE), a Transport & Environment (T&E) e o Bureau Veritas, a veracidade das médias obtidas através do seu próprio protocolo de testes de consumo em utilização real, já aplicado a cerca de 80% dos veículos vendidos pelas marcas Peugeot, Citroën e DS. As quais revelaram um consumo médio de combustível de 5,8 l/100 km, sinónimo de uma diferença média de 1,74 l/100 km face aos consumos homologados oficialmente (segundo o ciclo NEDC utilizado até 1 de Setembro, o que significa que os consumos reais são cerca de 30% superiores), e de cerca de 0,2 l/100 km comparativamente aos resultados obtidos pelos consumidores e publicados em bases de dados públicas, como o portal alemão Spritmonitor.

Realizadas com recurso a um equipamento de medição portátil instalado no veículo, cuja margem de erro não ultrapassa, segundo o fabricante, os 0,3 l/100 km, as medições realizadas segundo este protocolo vêm confirmar não só a fiabilidade dos dados obtidos pelos computadores de bordo, mas também algumas impressões já recolhidas. Por exemplo? Aqui vão quatro:

  1. Um motor diesel consome menos 1,5 l/100 km, em média, que um bloco a gasolina;
  2. A diferença entre os dados de homologação (NEDC) e o consumo real é, em cidade, praticamente a mesma para motores a gasóleo (2,4 l/100 km) e a gasolina (2,5 l/100 km), mas maior em percentagem (diferença de 53% e 42%, respectivamente);
  3. O estilo de condução tem menos impacto sobre a eficiência dos veículos com motor diesel do que nos modelos a gasolina;
  4. Modelos com caixa manual consomem menos combustível do que os que têm transmissão automática (-0,4 l/100 km).

Assumindo como objectivo, com este conjunto de testes, “oferecer aos clientes uma informação completa e transparente sobre o consumo em condições reais dos seus modelos Peugeot, Citroën e DS”, a PSA desafia os clientes a conhecerem os consumos médios dos seus veículos em condições reais de condução, consultando o portal disponível no site nacional da marca. Aí poderão seleccionar as características do seu automóvel, assim como o tipo de utilização realizada (número de passageiros, carga, estilo de condução, etc.), para obterem uma informação mais fidedigna do consumo.

“O protocolo desenvolvido com a T&E e a FNE garante uma resposta fiável às questões que os nossos clientes nos podem colocar sobre os seus consumos”, afirma o director de Qualidade e de Engenharia do Grupo PSA, Gilles Le Borgne, recordando que os consumidores “têm um acesso total e transparente aos dados de consumo”. Entretanto, “até ao final do corrente ano”, fica a promessa de serem adicionados os primeiros valores das emissões de NOx.”

Já o director de Clean Vehicles da T&E, Greg Archer, reafirma que “estes testes em condições reais demonstram que é perfeitamente possível recolher valores de emissões de CO2 e de consumo de combustível em quase tudo idênticos aos que os condutores constatam na estrada”.

Opinião subscrita também pelo vice-presidente executivo de Desenvolvimento Corporate & Business na Bureau Veritas, Philippe Lanternier, para quem “o protocolo tem demonstrado a sua eficácia nos testes de consumo em utilização real”.