A Tesla é o único construtor que consegue, à distância, alterar as especificações dos seus carros, da potência dos motores à capacidade e gestão da bateria, passando pela actualização de software e activação de serviços. Isto, e recolher mapas digitais em alta resolução de todos os locais por onde circulam os seus veículos, tenham ou não o Autopilot ligado.

Com o furacão Irma à porta, estando a chegada da tempestade à costa da Florida prevista para este domingo, a Tesla decidiu ontem, no pico da evacuação, dar uma mão aos seus clientes daquele estado americano. Assim, todos os que possuem os Model S e X, nas versões 60 e 60D, passam a poder usufruir da total capacidade das suas baterias, devendo esta medida permitir-lhes percorrer, em média, mais 50 km.

É bom recordar que, para facilitar a produção e sobretudo o stock de peças, os Model S e X com 60 kWh de capacidade de baterias, ou seja, os modelos mais acessíveis da gama (e hoje já descontinuados), estavam na realidade equipados com as mesmas baterias do modelo acima, o 75, com a capacidade que a referência parece indicar, 75 kWh. Mas estavam limitadas, para não permitir aos clientes que optaram pela versão mais barata usufruir dos últimos 15 kWh. Foi este limite que a Tesla remotamente anulou, incrementando a possibilidade de uma evacuação sem problemas.

Este incremento de capacidade sempre esteve disponível, podendo os condutores decidir promover as suas baterias de 60 para 75 kWh, por um valor que oscila entre 4.500 a 9.000 dólares, consoante o modelo e a duração do upgrade. E até pode ser que os 50 km a mais, agora disponibilizados, não sejam importantes para todos os utilizadores, mas ajudarão decididamente alguns. Importante mesmo é atenção que a Tesla continua a dar aos detalhes que, em momentos de aflição, são de uma importância extrema.