Só é anunciado na terça-feira, mas já muito se sabe sobre o próximo iPhone. Ecrã maior, mais modelos, reconhecimento facial ou o carregamento sem fios são algumas das novidades que se esperam. Na internet, já se sente o pulso dos consumidores. De um lado, há quem diga que é capaz de dar um rim pelo novo iPhone. Do outro, há quem acuse a tecnológica liderada por Tim Cook de “falta de inovação” ou de não estar a lançar “novidades” nenhumas.

E agora, sim, para algo completamente novo. Como vai ser o novo iPhone?

Faz 10 anos que o primeiro iPhone mudou o mercado dos telemóveis. Depois do lançamento do primeiro modelo, em 2007, a Apple promete mostrar, no evento de apresentação que vai decorrer na nova sede da empresa na Califórnia, um aparelho revolucionário, nem que seja no preço. Estima-se que o novo iPhone seja colocado à venda com um preço superior a 1.000 dólares. A confirmar-se, é o smartphone mais caro lançado pela Apple, para desilusão de muitos fãs da marca.

Apesar do mediatismo que os produtos da empresa fundada por Steve Jobs costumam provocar sempre que há um lançamento, a verdade é que o sistema operativo da Apple contava, em maio de 2017, com uma quota de mercado de apenas 13,7%, segundo a Fortune. Já o Android, da Google, contava com uma quota de mercado de 86,1%.

Com a contagem decrescente para as 18 horas (em Lisboa) de terça-feira já a ser feita por vários fãs, a curiosidade sobre como vai ser o novo iPhone aumenta. Nos comentários ao artigo do Observador que antecipa o lançamento do novo modelo da Apple, os leitores queixaram-se, por exemplo, do preço.

Estão longe de ser os únicos. Um jornalista da BBC, Tom Shepherd, fez um post no Twitter para brincar com o custo do novo modelo, no qual sugeria que, por aquele preço, era bom que pelo menos o “Modo Avião” do smartphone conseguisse levar os utilizadores de férias. Em resposta, um utilizador questiona quem será capaz de dar 1.000 libras por um telefone.

https://twitter.com/arvoperator74/status/907192359162728449

Já outro utilizador vai mais longe e brinca sobre dar um dos rins em troca do equipamento.

https://twitter.com/amitgoenka2k/status/907236961772957696

Além do preço, outros criticam a suposta falta de inovação, porque muitas das novidades que foram saindo na imprensa já existiam no mercado, noutros aparelhos, como no Samsung Galaxy S8.

Numa contagem para o anúncio oficial da Apple, que a página YourCountdown.To tem no Facebook, há centenas de comentários. Há um utilizador que diz, por exemplo, que o iPhone está a ficar “ridiculamente caro”. Outra diz que vai esperar um ano para adquiri-lo.

comentário 1

A utilizadora questiona não só o preço, como as poucas novidades em relação ao último modelo

comentário 2

Mais uma utilizadora criticar o preço

comentário 3

Outro utilizador refere até que prefere outro smartphone, um Xiaomi, com um “ecrã infinito” anunciado no próximo modelo

comentário 4

Mais uma utilizadora que critica a falta de inovação

Encontrámos vários utilizadores a comentar o que inúmeros internautas sentem: a (falta de) relevância do novo produto. O resto só se sabe esta terça-feira quando forem 18 horas em Lisboa.

Importa a quem? Brinca este utilizador

“Importa a quem?”, brinca este utilizador

A verdadeira expectativa só pode ser avaliada após o anúncio oficial da Apple, esta terça-feira. Até lá, já se sabe um pouco do que esperar com o próximo smartphone topo de gama da Apple, com as inúmeras informações que foram sendo libertadas nas últimas semanas.