Rádio Observador

Hotéis

Um fim de semana, um hotel: M’AR de AR Aqueduto

Batizado em honra do monumento de Évora que se vê do jardim, o M'AR de AR Aqueduto tem um pé no passado e outro no presente. Este verão com uma novidade: um "bistro" de petiscos alentejanos.

O que interessa saber

Nome: M’AR de AR Aqueduto
Abriu em: 2008
Onde fica: Rua Cândido dos Reis, 72, Évora
O que é: Um hotel de cinco estrelas com 64 quartos, inserido no centro histórico de Évora e que ocupa o antigo Palácio dos Sepúlveda, sendo contornado, em parte, pelo também quinhentista Aqueduto da Água de Prata.
Quem manda: O grupo M’AR de AR, que tem um segundo hotel em Évora, nas muralhas da cidade.
Quanto custa uma noite: De 122€ a 186€ para duas pessoas com pequeno-almoço incluído
Qual é a vista: Rua, jardim e piscina
Contacto: 266 740 700
Reservas: 266 739 302, reservas@mardearhotels.com
Links importantes: Site; Facebook

A história

Da porta de entrada à receção vão 500 anos, uma proeza de que poucos hotéis se poderão gabar. O M’AR de AR Aqueduto ocupa uma parte do antigo Palácio dos Sepúlveda e a melhor forma de apresentá-lo é mesmo viajando entre o século XVI e XXI. Toda a unidade foi pensada com esse conceito: de um lado o património arquitetónico de uma cidade cheia de história como Évora — visível na fachada com três janelas Manuelinas, nos tetos abobadados de várias salas e no aqueduto que fica quase paredes meias com o jardim –, do outro uma decoração moderna, com uma nova ala de paredes panorâmicas abertas para a piscina exterior e até as famosas cadeiras bola de Eero Aarnio onde os hóspedes fazem questão de se demorar antes de seguirem para um dos 64 quartos.

Uma parte do nome explica-se assim pelo imponente monumento que foi mandado construir em 1532 para levar água ao centro de Évora, e cujos arcos, praticamente intactos, continuam a fazer parte dos postais da cidade histórica. O chamado Aqueduto da Prata está tão perto do hotel que da piscina chega-se a confundi-lo com uma das paredes que circundam a propriedade. A outra parte do nome pode parecer mais enigmática — afinal, de onde vem o mar se estamos em pleno interior? — mas a frase impressa nas paredes do lobby explica: “O Alentejo é um mar de planícies, mas o m’ar que aqui se respira e nos hipnotiza é um m’ar de céu, um m’ar de estrelas, um m’ar de ar”. Respiremos então, num dos poucos hotéis de cinco estrelas de Évora.

Logo à entrada, os tetos abobadados do antigo palácio convivem com uma arquitetura moderna e as famosas cadeiras bola do designer Eero Aarnio. © Divulgação

O pequeno-almoço

Se nunca imaginou comer ovos mexidos num claustro, vale a pena acordar cedo para ter aquilo que mais se aproximará dessa experiência. Em formato buffet, e bastante completo, o pequeno-almoço do hotel é servido todos os dias entre as 7h e as 10h30h (11h ao fim de semana) no Degust’AR, o restaurante que ocupa o piso térreo do edifício do antigo palácio e onde não faltam diferentes salas com enormes abóbadas, frescos quinhentistas e uma iluminação dramática vinda apenas de pequenas janelas no alto.

O restaurante principal ocupa parte do antigo palácio, o que se vê desde logo pelos tetos abobadados. © Divulgação

Quando os pratos do pequeno-almoço são levantados e os tabuleiros do buffet arrumados para a manhã seguinte, a oferta do restaurante transforma-se para ir ao encontro de uma experiência de fine dining onde os sabores alentejanos são trabalhados com criatividade e há um menu de degustação disponível por 44€. A carta está a cargo do chef António Nobre e junta por exemplo carpaccio de cação envolto em coentros, rúcula selvagem, cebola roxa, vinagrete de citrinos e esferas de azeite (8€), lombo de bacalhau confitado em azeite virgem, batatas da caldeirada com peixe do rio, ervas da ribeira e grelos de couve (16€) ou ainda lombinho de porco alentejano com especiarias e mel da Serra de Portel, migas de espargos verdes, linguiça crocante e marmelada de laranja (17€).

Num registo mais descontraído, e para provar que à beira dos 10 anos também se rejuvenesce, no verão o hotel juntou mais um nome à oferta gastronómica: o Degust’AR Bistro, onde a ideia é partilhar petiscos em cadeiras altas (ou mesmo na esplanada da piscina, enquanto o bom tempo permitir), seja ao almoço (das 13h às 15h) ou ao jantar (das 19h30 às 23h). Embora as doses sejam mais pequenas, a cozinha alentejana continua a ser a raiz da carta, o chef é o mesmo, há um menu de degustação disponível (mais em conta, a 19€), e entre as boas apostas contam-se os ovos mexidos com farinheira de porco alentejano (4€) ou espargos verdes (5,50€), os cogumelos frescos assados no forno com azeite, alho e coentros (6€), os secretos de porco alentejano (12€), as várias tábuas de queijos locais ou ainda o pica pau de lombo de novilho com molho da tasca e pickles (12€).

Chame-lhe um petisco: camarão selvagem na frigideira com azeite, alho, malagueta e coentros, um dos petiscos do novo Degust’AR Bistro. © Miguel Gama/Divulgação

Os serviços

Comer e relaxar, assim se resumem os serviços do M’AR d’Ar Aqueduto. Ah, também pode casar. Aos dois restaurantes e ao bar de cocktails, espalhados pelo piso térreo e o primeiro andar, o hotel junta o Spa Aqueduto no piso inferior, onde as massagens tanto podem durar 30 minutos (a partir de 35€) como prolongar-se por uma hora e meia (até 130€). Ao todo há cinco cabines de tratamento — duas delas preparadas para tratamentos de casal –, sauna, banho turco e duche Vichy. Se o tempo permitir, também é possível fazer massagens no terraço, rodeado de laranjeiras.

Desse mesmo terraço vê-se o ponto mais concorrido de todo o hotel durante os meses de verão (concorrido ao ponto de não haver espreguiçadeiras livres ao fim de semana): a piscina exterior, para adultos e crianças.

Se ficou intrigado quanto à parte do casar, basta dizer que o hotel organiza receções e copos de água (à semelhança do que acontece com a outra unidade do grupo, também em Évora, o M’Ar de AR Muralhas). Há três espaços à disposição dos noivos e dos convidados, todos eles parte do antigo palácio e ainda do Colégio de São Manços, o que inclui uma capela transformada em sala, para abençoar a união.

Uma parte da piscina dá para o palácio, a outra para o aqueduto. © Divulgação

Coisas para fazer à volta

Numa cidade classificada como Património Mundial da Unesco não faltam motivos de interesse, e a verdade é que o hotel está apenas a cinco minutos a pé da famosa Praça do Giraldo (e das queijadas do Café Arcada), no centro histórico de Évora. Aventure-se pelas ruelas e descubra (ou redescubra) o Templo romano de Diana, a Adega da Cartuxa e a Fundação Eugénio de Almeida, que ficam mesmo ao lado e têm sempre uma programação interessante (para além de bons vinhos), a Sé de Évora, a Capela dos Ossos, o Jardim Público (com direito às suas próprias “ruínas fingidas”, isto é, construídas a partir das ruínas de outros edifícios da cidade, e onde os pavões gostam de se empoleirar) e o Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal.

Fora de Évora, as muitas rotundas levam-no a outros tesouros deste distrito alentejano. Destaque para três, todos a menos de uma hora de viagem: Arraiolos, concelho famoso pelos tapetes e onde se come muito bem num restaurante chamado Alpendre, antes (ou depois) de atacar a subida para o castelo; Mora, onde não pode deixar de visitar o fluviário e caminhar pelos passadiços do Parque Ecológico do Gameiro, que acompanham uma das margens do rio Raia e ficam mesmo em frente; e ainda Monsaraz, vila muito bem cuidada com uma vista privilegiada para o enorme lago Alqueva (por sua vez uma localização privilegiada para observar as estrelas) e que este ano ganhou uma praia fluvial com bandeira azul.

Para regressar, já sabe: basta procurar o aqueduto.

O Observador ficou alojado a convite do M’AR de AR Aqueduto.

“Um fim de semana, um hotel” é uma rubrica do Observador onde se dão a conhecer hotéis de norte a sul de Portugal.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: adferreira@observador.pt
Política

A sobrevivência do socialismo /premium

André Abrantes Amaral

O socialismo é a protecção de um sector contra os que ficam de fora. O desejo de ordem e a desresponsabilização é natural entre os que querem segurança a todo o custo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)