Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Realmente bonito” e “do futuro”. Vários jornalistas especializados em tecnologia estiveram, na terça-feira, a assistir à apresentação das últimas novidades da Apple, na Califórnia, e já puseram as mãos no recém-anunciado topo de gama, o iPhone X. Os comentários são consensuais: “é o melhor iPhone de sempre”.

Apesar dos rumores que precederam o lançamento, a Apple conseguiu surpreender. “Eram verdadeiros”, escreve Rani Molla, jornalista da publicação especializada em tecnologia Recode. Brian Heater, do TechCrunch, vai mais longe e afirma que “o X é um telefone para o mundo onde o dinheiro não é obstáculo, para quem quer o melhor num equipamento”. De acordo com a página da Apple em Portugal, o iPhone X poderá chegar aos 1.359 euros.

X marca o lugar do tesouro? As 5 novidades que fazem o novo iPhone tão caro

Mesmo com um preço elevado, o iPhone X provou na terça-feira que a Apple ainda faz produtos muito desejados. Heater elogia o desempenho da bateria (dura mais duas horas do que o iPhone 7), graças ao novo ecrã OLED, que consome menos energia que os tradicionais LCD.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O que Alex Webb e Mark Gurnman, da Bloomberg Technology, não deixaram de poder constatar foi a aposta da Apple na Realidade Aumentada. A tecnologia não é nova: outros equipamentos com câmara dupla já oferecem esta funcionalidade melhorada. No entanto, esta “aposta”, como o próprio Tim Cook referiu, “é tão significante como o smartphone“. Estas ferramentas de “sobreposição de informação digital à visão do mundo real de uma pessoa”, como descreve a Bloomberg, podem aumentar em 27% os lucros da Apple.

Já a Wired, com o novo iPhone nas mãos, não esconde o entusiasmo ao dizer que este modelo “é diferente [dos outros], de uma forma que o iPhone não conseguia ser há muito tempo”. O jornalista, David Pierce, não se conteve e publicou no Twitter o deslumbramento: “Este telefone é tão sexy”.

https://twitter.com/pierce/status/907683566410067969

Não tão deslumbrantes são os receios levantados quanto à segurança do reconhecimento facial, o Face ID, que é introduzido no iPhone X. Exemplo disso é a análise que o Gizmodo faz sobre esta nova funcionalidade. “É só assustador”, afirma Kate Conger, a jornalista que escreve o artigo.

Ainda é preciso esperar para ver como vai funcionar, mas pode ser difícil convencer os utilizadores da Apple a darem um mapa 3D da própria cara à empresa. O mesmo site levanta outras questões: e se parecer “estúpido” a usar isso?; quando estiver a dormir, será que o meu namorado/a vai conseguir desbloquear o telefone?; se for preso, o polícia vai poder desbloquear o telefone apontando-o para a minha cara?

Com mais segurança ou não, parece que vai ser “o smartphone do futuro”, afirma o The Verge. E apesar do custo, é um telefone que “vale o preço”. O entusiasmo dos especialistas é evidente: além de elogiarem a tecnologia aplicada ao Face ID, afirmam que é “realmente bonito”. Mas há uma ressalva feita pelo jornalista do The Verge, a falta de entrada para headphones.

O iPhone X só chega ao mercado a 3 de novembro e a 27 de outubro começam as pré-vendas. Além deste modelo, a Apple anunciou ontem os novos modelos iPhone 8 e 8 Plus, disponíveis parapr é-venda a partir de 15 de setembro.