Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A National Aeronautics and Space Administration (NASA), agência espacial norte-americana, lançou as últimas fotografias tiradas pela sonda Cassini de Titã, uma das luas de Saturno que tem vindo a explorar há 13 anos. É a última vez que a Cassini olha para Titã, por isso a NASA já chamou as estas imagens “o beijo do adeus” da Cassini. É que a missão especial protagonizada por esta sonda, a maior e mais cara de sempre, termina amanhã quando a Cassini ceder à gravidade de Saturno e deixar de nos enviar sinal ao entrar na tóxica, densa e pesada atmosfera do gigante gasoso.

Cassini foi o primeiro (e único até agora) veículo espacial a explorar Saturno. Nos últimos 20 anos — sete deles a viajar até ao planeta dos anéis e outros treze a explorar o gigante gasoso e os seus satélites naturais –, a sonda da NASA tem explorado o espaço entre os anéis que circundam a superfície saturnina. Só esta sexta-feira, antes de se despedir da Terra, Cassini vai fazer 22 aproximações entre a superfície de Saturno e os anéis de gelo, poeira e rocha que os compõem. Na última aproximação à superfície do gigante gasoso, vai deixar-se cair para a esmagadora atmosfera do planeta.

Nos últimos 13 anos, a Cassini deu muitas novidades sobre Titã e outras luas de Saturno. Graças a ela sabemos, por exemplo, que Titã é muito semelhante ao que a Terra seria nos primeiros tempos de vida e que Encélado tem um oceano e géisers na superfície. Agora, Cassini despede-se do sistema de satélites de Saturno com as fotografias que pode ver na fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR