A Amnistia Internacional divulgou imagens de satélite que mostram uma “campanha orquestrada” para incendiar aldeias dos Rohingya a oeste de Myanmar. A organização afirmou que estas imagens são provas claras de que as forças de segurança estão a tentar expulsar esta minoria muçulmana do país.

As forças militares, contudo, argumentam que estão a lutar contra militantes e que ainda não atingiram civis. A verdade é que cerca de 389 mil Rohingya já fugiram para o Bangladesh desde que a violência começou, em agosto, com o pretexto de que as pessoas pertencentes a esta minoria são imigrantes ilegais em Myanmar.

É visível perceber a tentativa de eliminar as várias aldeias

O governo do país diz que neste momento 30% das aldeias dos Rohingya em Rakhine estão totalmente vazias.

Quem são os rohingyas e por que fogem de Myanmar?

Na última quarta-feira, o secretário-geral da ONU António Guterres classificou a situação como uma catástrofe humanitária e não teve receios em adjetivá-la de “limpeza étnica”.