Timor-Leste

Timor-Leste. VII Governo constitucional toma posse incompleto

O governo de coligação liderado por Mari Alkatiri toma posse esta quinta-feira. José Ramos-Horta é um dos quatro ministros de Estado mas ainda há pastas por delegar.

Mari Alkatiri volta a ser primeiro-ministro depois de se ter demitido em 2006

ANTONIO AMARAL/LUSA

O VII Governo constitucional timorense, cujo mandato começa esta quinta-feira, é liderado por Mari Alkatiri e tem quatro ministros de Estado, mas não vai ser empossado na totalidade, com várias pastas ainda por preencher.

A lista de governantes proposta pelo primeiro-ministro indigitado, Mari Alkatiri, foi já assinada pelo chefe de Estado, Francisco Guterres Lu-Olo, e publicada no Jornal da República, permitindo a realização da cerimónia oficial de posse, às 16:00 (08:00 em Lisboa) no Palácio Nobre de Lahane.

Dos cerca de 30 elementos que o novo governo timorense vai ter, apenas 12 vão ser empossados esta tarde, com vários a acumularem temporariamente outras funções.

O executivo é liderado por Mari Alkatiri, que regressa à chefia do Governo, que ocupou entre 20 de maio de 2002 – foi o primeiro primeiro-ministro desde a restauração da independência e o segundo desde a declaração da independência – e 26 de junho de 2006, quando se demitiu na sequência da crise política que Timor-Leste vivia na altura.

Alkatiri, que será também ministro do Desenvolvimento e de Reforma Institucional, tem ainda como áreas de responsabilidade as Zonas Especiais de Economia Social de Mercado de Timor-Leste (Oecusse e Ataúro e quatro “Zonas Especiais de Desenvolvimento de Território Nacional”) e as Infraestruturas.

Temporariamente e até que tome posse o ministro da Justiça, Alkatiri, líder da Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin), vai acumular a responsabilidade nesta área.

O Governo vai ter quatro ministros de Estado, sendo que, neste dia, só tomam posse três: José Ramos-Horta (ex-Presidente da República), que será também conselheiro para Segurança Nacional, Rui Araújo (ex-primeiro-ministro), que será ainda ministro da Saúde, e Estanislau da Silva, que será ainda ministro da Agricultura, cargo que ocupou no VI Governo.

Adriano Nascimento, do Partido Democrático (PD), será o ministro na Presidência do Conselho de Ministros, e Aurélio Guterres, ex-reitor da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e (UNTL), o ministro de Negócios Estrangeiros e Cooperação.

Valentim Ximenes toma posse como ministro da Administração Estatal e Rui Augusto Gomes, ex-chefe da Casa Civil do ex-Presidente timorense Taur Matan Ruak, será o ministro do Plano e Finanças.

José Somotxo será o ministro da Defesa, enquanto o cargo de ministro da Educação – que não toma posse hoje – vai ser acumulado temporariamente por Rui Araújo, sendo empossada como vice-ministra a ex-deputada do PD Lurdes Bessa.

António da Conceição (PD), anterior ministro da Educação, será o novo ministro do Comércio e Indústria e Florentina Martins Smith (Fretilin) vai liderar a pasta da Solidariedade Social.

Temporariamente, o cargo de ministro dos Recursos Minerais será acumulado por Estanislau da Silva.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)