O presidente da Yupido – a empresa portuguesa que tem um capital social avaliado em 28,8 mil milhões de euros e que tem captado a atenção da imprensa portuguesa (e não só) – disse ao Jornal Económico que “se esta empresa tivesse sido criada nos Estados Unidos, as notícias eram diferentes”. Torcato Jorge tem 26 anos,é licenciado em Ciência Política e Mestre em Admnistração Pública pelo ISCTE e ex-militante da Juventude Popular.

Mantendo o segredo quanto à plataforma “inovadora e revolucionária” que está na base dos 28,8 mil milhões, Torcato revela à mesma publicação que chegou a ter entrevista marcada para trabalhar para o Estado, mas que nem chegou a ir graças ao potencial da Yupido (lê-se “Yup I Do”, que em português quer dizer “sim, eu faço”). Afirmando-se como empreendedor, chega a comparar a ideia que o levou a lançar a startup às mesmas que levaram Mark Zuckeberg a criar o Facebook ou Bill Gates a Microsoft.

Encontrámos o escritório secreto da Yupido. Estes 29 mil milhões moram em Telheiras

O caso da Yupido, que tem um capital social 9 vezes superior ao da EDP, não só suscitou o interesse da Procuradoria Geral da República e Polícia Judiciária, como já levou à exoneração dos auditores que avaliaram a empresa: José Rito e Maria Rebelo, tal como o Observador já tinha avançado na semana passada.

José Rito, em declarações ao Dinheiro Vivo, reforçou o que já tinha sido avançado pelo Observador: que o aumento de capital “foi rejeitado por informação insuficiente”. Indo mais longe, o auditor acusa a empresa de “falta de boa-fé” e “transparência”, assumindo que a administração da Yupido não lhe contava sempre verdade.

Os 243 milhões iniciais da Yupido eram um software de gestão para empresas