Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, revela que passar demasiado tempo sentado aumento o risco de morte. De acordo com os investigadores, uma pessoa deve levantar-se, pelo menos, de meia em meia hora para reduzir os efeitos do sedentarismo. Em média, um adulto passa 12,3 horas por dia sentado.

O estudo publicado na revista científica Annals of Internal Medicine explica que existem dois fatores determinantes: a falta de atividade física e o sedentarismo. Os investigadores descobriram que os efeitos de passar mais de meia hora sentado se refletem no metabolismo. E os efeitos adversos à saúde multiplicam-se se não se praticar desporto.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, pelo menos 60% da população mundial não realiza atividades físicas suficientes para ter efeitos benéficos na saúde. Também um estudo da Universidade de Stanford acrescenta que os Estados Unidos, México e Brasil são os três países menos ativos fisicamente.

Há que sentar menos, levantar com mais frequência e movimentar mais”, explica Keith Dias, autor da investigação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Diaz acrescenta que o mal mais comum para pessoas que caem nestes hábitos são problemas arteriais e diabetes. O investigador acredita que é necessário encontrar formas de incorporar o movimento no trabalho, como por exemplo com recurso a mesas altas para que se possa trabalhar de pé, ou mesmo em cima de passadeiras.

O estudo em questão foi feito entre 2008 e 2013 com base nos dados de 7.895 pessoas com mais de 45 anos. Para medir o tempo que habitualmente permanecem sentados, foi instalado um acelerómetro na cadeira. Os dados deram a entender que a média dos inquiridos passa cerca de 12,3 horas sentada, sendo que estão acordados 16 das 24 horas de um dia.

Ao longo dos mais de quatro anos de estudo, 340 participantes morreram.