Chama-se Luo Denping, mas pode ser conhecida na China por “Mulher-Aranha”. Parece, mas esta não é uma super-heroína. Luo ganhou esta alcunha depois de escalar as altas montanhas da província de Guizhou, na República Popular da China, sem qualquer proteção ou cordas. Tudo faz parte de um negócio do Governo como forma de atrair turistas, como mostra uma reportagem da BBC.

A prática remonta de há séculos, muito comum ente os “Miao”, um grupo minoritário, ao qual Luo pertence. A prática de escalar montanhas prendia-se com a necessidade de obter certas plantas para serem vendidas como medicamento e também com a obtenção de excrementos de andorinhas, como bons fertilizantes para as culturas agrícolas. O hábito acabou por se perder, à medida que a medicina ocidental evoluiu e que esses recursos foram deixando de ser necessário.

Luo começou por escalar aos 15 anos para ajudar o pai mas foi em 2015, com 37 anos, que recebeu o convite do governo regional para entreter turistas a subir as falésias da região. As organizações de turismo na região aproveitam a habilidade desta minoria e contratam vários “homens-aranha” como negócio de atração, devido à capacidade que estes têm em subir grandes montanhas.

Luo, juntamente com outros cinco homens, escala cerca de 100 metros, duas vezes por dia. Os trabalhadores têm quatro dias de folga todos os meses e têm uma base salarial equivalente a 383 euros, fora a comissão extra que podem ganhar consoante o número de bilhetes que sejam vendidos por dia aos turistas.