Os órgãos de comunicação social públicos da Guiné-Bissau cancelaram a greve de três dias, que deveria ter início esta terça-feira, depois de terem chegado a um entendimento com o Governo.

Depois de negociações, chegámos a um entendimento. O Governo comprometeu-se a afetar alguns meios que achamos indispensáveis para o funcionamento dos órgãos de comunicação social“, disse Francisco Indeque, presidente do sindicato que representa os jornalistas e técnicos de comunicação social da Radiodifusão nacional (RDN), televisão da Guiné-Bissau (TGB), jornal No Pintcha e Agência Noticiosa da Guiné (ANG).

Segundo Francisco Indeque, o Governo comprometeu-se a atribuir duas viaturas para transporte de pessoal à Televisão da Guiné-Bissau e à Rádio Nacional, bem como 10 computadores à Agência Nacional da Guiné-Bissau e jornal “No Pintcha”, e ainda a instalação de Internet naqueles órgãos de comunicação social.

“O material deverá ser entregue nos próximos 30 dias”, disse Francisco Indeque, salientando que caso não seja recebido os jornalistas voltarão a fazer greve.

O sindicato que representa os jornalistas e técnicos de comunicação social da Radiodifusão nacional (RDN), televisão da Guiné-Bissau (TGB), jornal No Pintcha e Agência Noticiosa da Guiné (ANG) tinha anunciado uma greve de três dias para reivindicar equipamento para aqueles órgãos de comunicação social do Estado guineense, mas também um ajuste salarial e formação, entre outras reivindicações.