As crianças são irrequietas por natureza. Aliás, o andar de trás para a frente é praticamente código genético de ser-se pequeno. Pode ser cansativo para quem cuida, mas acontece que os mais novos precisam de exercício físico não só para estimular o corpo mas também o cérebro. É um win-win.

O livro “Toca a Mexer”, de Margaret Sassé, especialista em desenvolvimento infantil, apresenta vários exercícios e atividades, para bebés e crianças até aos seis anos, pensadas de forma a potenciar as capacidades cognitivas, físicas e sociais dos mais novos — falamos de ideias para estimulação visual, massagens e jogos, entre outras sugestões.

O livro está à venda por 16,50€. © Divulgação

É na obra que agora chega ao mercado português (Clube do Autor) que se lê que são muitos os estudos que vêm “demonstrar que os primeiros cinco anos de vida são essenciais para a saúde, bem-estar e sucesso futuros” da criança. A pensar nisso, o livro quer ajudar os pais a maximizar os períodos cruciais de desenvolvimento do cérebro da pequenada.

Mas atenção: segundo a obra, “nenhuma atividade deverá durar mais de dois minutos e deve ser feita lentamente.” Em causa está, então, o trio “intensidade, frequência e duração”, tido como essencial. “A regra do jogo é a repetição: as crianças fazem-no de forma instintiva”.

Hoje em dia, sem dúvida que as crianças não se mexem o suficiente. A obesidade é uma consequência frequente e é muitíssimo perigosa para a saúde, bem-estar e aprendizagem. O movimento, a brincadeira e a exploração ativa são essenciais para o desenvolvimento das crianças.

Frances Page Glascoe, Professora de Pediatria, em “Toca a Mexer”

A título de exemplo, reunimos cinco exercícios, dos dois meses aos dois anos, que passam pela promoção do desenvolvimento das pernas e barriga, mas também por “elevações”, de maneira a melhorar o desenvolvimento do tónus muscular no cotovelo. Todos os exercícios escolhidos — em fotogaleria — têm, em comum, o facto de serem feitos a dois, isto é, envolvem pai/mãe e filho/a.