O Conselho Superior de Defesa Nacional deu esta quinta-feira parecer favorável ao prolongamento da participação portuguesa na missão da ONU na República-Centro Africana e ao envio de uma força nacional para a missão da NATO no Afeganistão.

Esta decisão sobre o plano das forças nacionais destacadas para 2018 consta de um comunicado divulgado no final da reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional e lido pelo chefe da Casa Militar da Presidência da República, o tenente-general João Carvalho Cordeiro, no Palácio de Belém, em Lisboa.O Conselho deu parecer favorável à proposta global apresentada para 2018, em particular no que respeita à anuência prévia a nova missão, no âmbito da NATO, no Afeganistão, à manutenção da missão, no quadro da ONU, na República Centro-Africana e ao comando de missão da União Europeia, no mesmo Estado”, lê-se no documento, sem avançar mais detalhes sobre estas missões.

Segundo o comunicado, a reunião de hoje, que durou cerca de três horas, começou “com uma apresentação sobre o contexto da política externa de Defesa, nomeadamente quanto às diversas organizações internacionais em que Portugal se integra”.

“Foi, seguidamente, efetuado um ponto de situação sobre as atuais missões das forças e elementos nacionais destacados, tendo o Conselho concluído com a apreciação da possível participação das Forças Armadas em missões e operações no exterior, durante o ano de 2018”, refere a nota distribuída aos jornalistas.