Cabelo

Eis porque deve experimentar um champô micelar

106

O conceito "imane" que puxa a sujidade chegou aos cabelos e promete uma lavagem pouco agressiva, sem espuma e com fios mais brilhantes e saudáveis. Ainda há poucas opções mas já pode experimentar.

Autor
  • Helena Magalhães

Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Foi assim que as águas micelares invadiram as rotinas de beleza das mulheres um pouco por todo o mundo. A palavra micelar era estranha, o conceito de micelas ainda mais, mas este produto acabou por ganhar um lugar permanente nas casas de banho. Com uma textura suave, consegue retirar rapidamente a maquilhagem e a sujidade da pele e dos olhos.

O conceito chegou agora aos cabelos e a premissa passa um pouco pelo mesmo: lavagem suave e sem danificar os fios. Ideal para quem lava o cabelo todos os dias e não quer comprometer a sua saúde. Os pontos fortes destes champôs: protegem a cor, fortalecem, tratam os fios danificados, purificam, fazem uma lavagem suave, nutrem e deixam o cabelo brilhante.

O que é?

Explicando de forma simples, as micelas, tal como na pele, atuam como ímanes e “puxam” os resíduos, os óleos e a sujidade do cabelo de forma suave. Acaba por ser uma lavagem mais pura porque, ao contrário dos champôs normais, não precisam de “puxar” a hidratação dos fios para tirar a sujidade. A maioria dos champôs micelares não tem perfumes, silicones nem sulfatos e – não estranhe – fazem pouca espuma.

Quem precisa experimentar?

Todas as mulheres que sofrem com os champôs regulares, ficam com o cabelo pesado e cheio de frizz, com o couro cabeludo muito seco, sensível ou lavam o cabelo todos os dias (porque é oleoso, por exemplo), o que o deixa fraco. As partículas de micelas conseguem atrair toda a sujidade sem esforço – daí não fazer espuma – e são uma alternativa ao comum champô.

Ainda não há muitas opções no mercado mas já há algumas que pode experimentar e que mostramos na fotogaleria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
caderno de apontamentos

O que vale a Educação? /premium

Assunção Flores

É fundamental questionar e repensar modos de recrutamento e seleção de professores, mas também refletir sobre a sua formação, inicial e contínua, e já agora sobre a sua avaliação, de modo consistente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)