“Será a moda moderna?” é uma exposição do Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova Iorque que procura responder a uma questão “muito simples”, diz a curadora Paola Antonelli: que peças de roupa tiveram um efeito realmente profundo nos últimos 100 anos? Numa viagem pelos séculos XX e XXI, o museu descobriu os 111 produtos que mais vincaram a cultura popular — e que continuam a fazê-lo. E a lista vai desde as máscaras cirúrgicas até aos mocassins, passando pelas obrigatórias calças de ganga ou pelos clássicos casacos de pele.

A última vez que o MoMA teve uma exposição relacionada com moda foi em 1944, quando as mulheres se inspiravam em Christian Dior para usar jaquetas cintadas e os homens apostavam nas gabardines. Mas se o mundo mudou desde então, a própria exposição também tem diferenças: “A exposição de 1944 questionava-se sobre se as roupas eram modernas, enquanto esta quer descobrir se todo o sistema da moda é moderno, tendo em conta não só os produtos, mas também a forma de os trabalhar e a sua sustentabilidade”, explica Paola à CNN numa entrevista por telefone.

Há todo o tipo de produtos na lista desenvolvida pelo MoMA, que pode servir também de guia de produtos obrigatórios para quem segue a cultura popular na moda — a simples t-shirt branca, os ténis Converse, o casaco de pele ou as calças de ganga, por exemplo. Outros, no entanto, parecem peculiares, como as máscaras cirúrgicas ou protetores solares. Mas todos — a par de peças como o hijab, o burquini ou as tatuagens — mudaram o mundo, sugere a exposição.

Na fotogaleria pode consultar a lista completa de 111 peças de roupa que mudaram o mundo, de acordo com o site do Museu.