A aprovação do Governo do Presidente brasileiro Michel Temer caiu de 5% em julho para 3% em setembro, uma sondagem divulgada esta quinta-feira pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e o Ibope. A percentagem dos entrevistados que avaliam a atual gestão como má ou péssima subiu de 70% para 77% no mesmo período, enquanto 16% avaliam o Governo como regular e 3% não souberam ou não quiseram responder.

O aumento da impopularidade do chefe brasileiro também foi constatado pelo número de pessoas que dizem não aprovar a sua forma de governar ou que não confiam no Presidente.

A sondagem apontou que 89% dos entrevistados disseram não aprovar a forma de Michel Temer governar e 92% não confiam no Presidente. Além disso, para 72% dos entrevistados, o resto do mandato de Temer será “mau ou péssimo”.

O levantamento fez ainda uma comparação entre as gestões de Michel Temer e Dilma Rousseff, líder impopular que foi destituída em agosto do ano passado pelo Congresso do país sul-americano, na Presidência.

Segundo a sondagem, apenas 8% dos entrevistados consideram o Governo de Michel Temer melhor do que o de sua antecessora, 59% avaliaram como pior, 31% consideraram igual, enquanto outros 2% não souberam ou não responderam. A sondagem da CNI/Ibope foi realizada junto de 2.000 pessoas, em 126 municípios do Brasil, entre os dias 15 e 20 de setembro.

Presidente do Brasil arguido por suspeita de obstrução à Justiça e organização criminosa