Rádio Observador

Eleições em Angola

Governo angolano com 30 ministros e 9 são herança de José Eduardo dos Santos

O novo Governo angolano vai continuar a contar com três dezenas de ministros, dos quais nove mantêm as mesmas pastas do executivo liderado até terça-feira por José Eduardo dos Santos.

A informação consta de um comunicado enviado à Lusa pela Presidência da República de Angola

JOÃO MAVINGA/LUSA

O novo Governo angolano, nomeado pelo Presidente da República, João Lourenço, vai continuar a contar com três dezenas de ministros, dos quais nove mantêm as mesmas pastas do executivo liderado até terça-feira por José Eduardo dos Santos.

A informação consta de um comunicado enviado à agência Lusa pela Presidência da República angolana, dando conta que as nomeações dos titulares dos diferentes departamentos governamentais foram feitas esta quinta-feira, por decreto presidencial.

De acordo com a agência de notícias Angop, o executivo é composto pelos seguintes nomes:

Manuel José Nunes Júnior, Ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social;

Pedro Sebastião, Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República;

Frederico Manuel dos Santos e Silva Cardoso, Ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República;

Salviano de Jesus Sequeira, Ministro da Defesa Nacional;

Ângelo de Barros da Veiga Tavares, Ministro do Interior;

Manuel Domingos Augusto, Ministro das Relações Exteriores;

Augusto Archer de Sousa Mangueira, Ministro das Finanças;

Adão Francisco Correia de Almeida, Ministro do Território e Reforma do Estado;

António Rodrigues Afonso Paulo, Ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.

Marcos Alexandre Nhunga, Ministro da Agricultura e Florestas.

Bernarda Gonçalves Martins Henriques da Silva, Ministra da Indústria;

João Baptista Borges, Ministro da Energia e Águas;

Diamantino Pedro Azevedo, Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos;

Augusto da Silva Tomás, Ministro dos Transportes;

Manuel Tavares de Almeida, Ministro da Construção e Obras Públicas;

Victória Francisco Lopes Cristóvão de Barros Neto, Ministra das Pescas e do Mar;

José Carvalho da Rocha, Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação;

Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, Ministro do Ordenamento do Território e Habitação;

Pedro Luís da Fonseca, Ministro da Economia e Planeamento;

Maria do Rosário Bragança Sambo, Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação;

Maria Cândida Teixeira, Ministra da Educação;

Sílvia Paula Valentim Lutucuta, Ministra da Saúde;

Maria Ângela Teixeira de Alva Sequeira Bragança, Ministra da Hotelaria e Turismo;

Victória Francisco Correia Conceição, Ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher;

Carolina Cerqueira, Ministra da Cultura;

Ana Paula Sacramento Neto, Ministra da Juventude e Desportos;

Aníbal João da Silva Melo, Ministro da Comunicação Social;

João Ernesto dos Santos “Liberdade”, Ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria;

Jofre Van-Dúnem Júnior, Ministro do Comércio;

Paula Cristina Francisco Coelho, Ministra do Ambiente;

Ana Maria de Sousa e Silva, Secretária do Conselho de Ministros.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)