O próximo Audi RS7 deverá chegar aos mercados europeus, já no próximo ano, e com importantes modificações. Desde logo, a possibilidade de o cliente optar entre duas motorizações, a mais potente impulsionada por um sistema de propulsão híbrido plug-in, parecido ao utilizado no recentemente apresentado Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid. Embora, no caso do Audi, a debitar “um pouco” mais: 707 cv de potência.

A revelação destas novas opções, em termos de motorizações, para o futuro RS7, foi feita por Marc Lichte. Em declarações à Evo, o responsável máximo pelo design da Audi desvendou que a próxima geração do desportivo de cinco lugares começará numa versão impulsionada por uma nova variante do V8 4,0 litros twin-turbo que já equipa tanto o Porsche Panamera como o Bentley Continental GT. No caso do Audi, a debitar cerca de 659 cv potência e 815 Nm de binário, transmitidos às quatro rodas por intermédio de uma caixa automática de dupla embraiagem e oito velocidades. Conjunto que deverá permitir ao RS7 ir dos 0 aos 100 km/h em menos de 4 segundos, fixando como velocidade máxima anunciada os 305 km/h. Como elemento de comparação, refira-se que o actual RS7 Performance dispõe de uma potência de “apenas” 605 cv, a par de 700 Nm de binário, sendo, ainda assim, capaz de ir de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos.

Para aqueles para quem os números já anunciados não chegam, garantida está também uma outra versão, ainda mais potente, impulsionada por um sistema híbrido plug-in. Em princípio, tratar-se-á de uma variante do mesmo bloco que já equipa o recentemente apresentado Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid. E que, no carro de Estugarda, anuncia 680 cv de potência e 850 Nm de binário, graças à conjugação do V8 4,0 litros twin-turbo com um motor eléctrico e baterias de iões de lítio, além de tracção integral quattro. No caso do futuro RS7, e segundo Lichte, a versão híbrida deverá anunciar ainda mais potência, tudo apontando para que ronde os 707 cv.