As urnas que este domingo vão ser utilizadas no referendo para a independência da Catalunha foram reveladas esta sexta-feira, depois de várias semanas em que se especulava como elas seriam, de onde viriam e onde estavam a ser guardadas pelo governo regional da Catalunha.

A apresentação das urnas foi feita numa conferência de imprensa a cargo do vice-presidente do governo regional da Catalunha, Oriol Junqueras; do conselheiro regional para os Negócios Estrangeiros, Raül Romeva; e do conselheiro regional da presidência, Jordi Turull.

Segundo o El País, as urnas foram compradas através de um site de compras online a uma empresa daquele país chamada Smart Dragon Ballot Expert, sediada na cidade chinesa de Guangzhou. Sally Liang, uma comercial daquela empresa, disse ao El País que a empresa enviou 10 mil urnas recentemente para França. Terá sido a partir daquele país vizinho que o Governo regional catalão as introduziu em solo espanhol.

A Smart Dragon Ballot Expert foi criada em 2007 e tem trabalhado sobretudo em eleições em África, em países como o Níger, Gana, Tanzânia, Guiné, Gabão, Gâmbia, Zâmbia ou Burquina Faso. Na Europa, também já fabricou material eleitoral — além de urnas, também selos e carimbos — para eleições no Reino Unido e na Lituânia.