Acidentes de Aviação

Dezenas de mortos na queda de avião militar na República Democrática do Congo

421

Dezenas de pessoas morreram na queda de um avião de transporte militar perto de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, noticiou a agência France Presse citando várias fontes.

Dezenas de pessoas morreram este sábado na queda de um avião de transporte militar perto de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, noticiou a agência francesa France Presse citando várias fontes.

O Antonov de fabrico russo do exército congolês tinha acabado de descolar de Kinshasa rumo a Kivu (leste do país) e transportava “várias dezenas de passageiros”, disse à AFP uma fonte aeroportuária que solicitou o anonimato.

O aparelho caiu na comuna de N’sélé, que faz parte da região periférica de Kinshasa, a uma centena de quilómetros do centro da capital.

Uma fonte municipal disse, por outro lado, que “não houve sobreviventes”.

O Antonov estava a ser pilotado por uma tripulação russa e transportava “dois veículos e munições”, bem como pessoal militar, indicou à agência francesa uma fonte do Estado-Maior congolês, que também solicitou anonimato.

Segundo esta fonte, seguiriam “entre 20 e 30 pessoas” a bordo do avião, que descolou do aeroporto de Ndolo, no centro de Kinshasa.

Uma testemunha descreveu que o avião simplesmente caiu, sem emitir qualquer tipo de fumo.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)