Passos Coelho continua a alimentar o tabu sobre a recandidatura a líder do PSD e ainda foi mais defensivo do que na noite eleitoral, quando disse que ia “refletir” sobre se voltava a ir a votos no partido. À saída de uma audiência com o Presidente da República, em Belém, o líder do PSD diz ser uma “questão prematura” fazer uma avaliação das autárquicas, já que terça-feira o PSD “vai proceder a uma análise com mais detalhe nos órgãos nacionais”. Questionado sobre como está essa reflexão, Passos foi telegráfico a responder aos jornalistas: “Vai bem, obrigado“.

O líder do PSD falou com Marcelo Rebelo de Sousa do Orçamento do Estado para 2018, confessando que lhe disse que espera que o país “atinja a meta orçamental a que propôs para este ano” e que acredita que será provável. Ainda assim, Passos Coelho transmitiu ao Presidente a ideia de que o país precisa de “crescer significativamente mais do que tem crescido” e lembrando que o Governo “tem-se centrado mais no presente do que no futuro.

O Conselho Nacional do PSD — o órgão máximo entre congressos — reúne na terça-feira para fazer uma análise dos resultados do partido nas autárquicas de 1 de outubro. Antes disso, Passos Coelho reúne com a Comissão Política Permanente.