A brecha informática da Equifax que permitiu a piratas informáticos aceder a dados pessoais de 143 milhões de americanos parece ter sido superior ao inicialmente revelado. Uma investigação independente à empresa de monitorização de crédito americana revelou que, afinal, outras 2,5 milhões de pessoas foram afetadas.

A agência de segurança interna federal norte-americana tinha, em maio, alertado a empresa para uma falha de segurança no seu site oficial. O ataque informático realizado entre o mesmo mês e julho deste ano já levou ao afastamento de Richard Smith, que liderava a empresa. O ex-presidente executivo apresenta-se esta terça-feira a uma comissão do congresso americano para prestar declarações sobre o sucedido.

O caso já levou a uma perda de 25% do valor das ações da instituição de monitorização de crédito, segundo reporta a Fortune.