O ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, exonerou, por decreto que entrou em vigor no dia em que tomou posse o novo chefe de Estado, João Lourenço, três administradores executivos da Sonangol, incluindo o presidente da comissão executiva.

Segundo o decreto presidencial 217/17, assinado a 21 de setembro e que entrou em vigor, com a sua publicação, cinco dias depois, além de Paulino Jerónimo, nomeado em junho de 2016 como administrador e presidente da comissão executiva da petrolífera estatal liderada por Isabel dos Santos, foram ainda exonerados César Paxi e Jorge de Abreu.

A decisão, tomada por José Eduardo dos Santos praticamente um mês após as eleições gerais angolanas e concretizada no dia em que deixou as funções (26 de setembro), é justificada no texto do documento, ao qual a Lusa teve hoje acesso, com o “diagnóstico realizado à Sonangol e às suas subsidiárias”, no âmbito do processo de reajustamento do setor petrolífero angolano, e “considerando que a estabilização e fortalecimento” da petrolífera “exige uma alteração da composição do seu conselho de administração e dos respetivos pelouros”.