Cinquenta e nove pessoas morreram este domingo quando um homem abriu fogo sobre uma multidão que assistia a um concerto junto ao casino Mandalay Bay, Las Vegas (Estados Unidos). Dois dias depois do ataque, que se tornou no tiroteio mais mortífero da história norte-americana, começam agora a ser conhecidas as identidades das vítimas. Conheça os seus rostos e as suas histórias.

Sonny Melton

Tinha 29 anos e era um enfermeiro certificado no Henry County Medical Center, um centro de saúde em Paris, estado do Tennessee. Morreu quando, ao correr, abraçou a mulher para a proteger dos tiros, acabando por ser atingido nas costas, explicou Heather Melton, uma cirurgiã ortopedista, numa entrevista à CNN. Sonny Melton era descrito como “um homem carinhoso, de coração grande, alguém que simplesmente se sabe que é bom e generoso”.

Rachael Parker

Tinha 33 anos e era técnica de gravações no departamento da polícia em Manhattan Beach. De acordo com um comunicado oficial lançado pelos colegas, Rachael Parker foi atingida no tiroteio em Las Vegas e veio a morrer no hospital. Foi a única dos quatro agentes presente no concerto que morreu: os outros três sofreram ferimentos ligeiros, afirma a polícia da Califórnia.

Jordan McIldoon

Tinha 25 anos, era natural de Maple Ridge, British Columbia, e apaixonado por tatuagens. Quando foi atingido, uma mulher chamada Heather Gooze permaneceu ao lado dele, de mãos dadas, embora os dois nunca se tivessem conhecido. Foi Heather Gooze que ligou à namorada e à mãe de Jordan para as avisar da morte do rapaz: “Queria que o nome dele fosse conhecido. Tinha a obrigação de me certificar que toda a gente saberia o nome dele”.

Angela Gomez

Conhecia por “Angie” entre os amigos, era uma rapariga muito ativa na comunidade de Riversidade, estado da Califórnia. De acordo com a Riverside Polytechnic High School, onde andou em 2015, Angela Gomez fazia teatro na cidade, pertenceu ao coro da escola secundária e era “cheerleader”. “Era sempre vista com um sorriso no rosto, era uma amiga leal que amava a família”, diz o comunidado da escola secundária.

Sandra Casey

Era professora de ensino especial há nove anos na escola básica de Manhattan Beach e veio a morrer no hospital, depois de ter sido atingida no tiroteio de Las Vegas. O superintendente da escola, que anunciou a morte de Sandra Casey, diz que vai sempre ser recordada “pelo sentido de humor, paixão pelo trabalho, devoção aos estudantes e entrega aos projetos que lhe aparecessem pelo caminho”.

Jenny Parks

Era uma professora de jardim de infância em Lancaster School District, estado da Califórnia, que tinha ido a Las Vegas visitar os dois irmãos. O tio de Jenny Parks, que confirmou a morte, descreve-a como “uma das pessoas mais amorosas que alguma vez podemos imaginar encontrar, que estava sempre pronta a ajudar alguém”. Steven McCarthy diz que nunca a viu chateado ou triste. O marido de Jenny, Bobby Parks, está a ser acompanhado depois de ter sido baleado, mas está consciente.

Neysa Tonks

Vivia em Las Vegas e tinha três filhos — Kaden, Braxton e Greysen — confirmou a Technologent, empresa onde Neysa Tonks trabalhava. Os colegas recordam-na como uma pessoa “muito alegre, alegria e gargalhadas” à empresa, que abriu uma angariação de fundos para entregar à família de Neysa. A iniciativa já amealhou 60 mil dólares.

Susan Smith

Tinha 53 anos, dois filhos, era casada e era gestora da Vista Elementary School, estado da Califórnia, confirmou a própria escola. De acordo com o comunicado, Susan Smith trabalhava havia 16 anos na escola primária e era “uma grande fã que música country”. Foi isso que a levou até Las Vegas na companhia de dois amigos, que sobreviveram ao ataque. “Ela era sempre muito acolhedora, toda a gente a conhecia e ajudou muita gente”, recorda a escola.

Bailey Schweitzer

Estava com a mãe quando foi atingida e morta durante o tiroteio em Las Vegas. Tinha 20 anos e tinha ido ao concerto para ver alguns dos seus artistas favoritos. Andou na Centennial High School, onde jogava voleibol e era “cheerleader”, e praticava desporto na comunidade religiosa local. Ao mesmo tempo, ajudava os pais a gerir o autódromo da família.

Jennifer T. Irvine

Era uma advogada de San Diego que estava de férias em Las Vegas. Descrita como “firme e tenaz”, Jennifer T. Irvine era especializada em criminalidade e lei familiar e tinha a própria empresa de advocacia. Fora do tribunal, era cinturão negro em taekwondo, praticava ioga e começava agora a aprender escalada e paraquedismo.

Lisa Romero-Muniz

Era secretária de uma rede de escola, Gallup-McKinley County Schools, no Novo México, desde 2003, e ensinava regras de disciplina a estudantes mais rebeldes. Vários alunos escrevem no Facebook que Lisa “fez muito” por eles, que a respeitavam muito e trabalhava muito em prol dos jovens das três escolas onde trabalhava.

Rhonda LeRocque

Natural de Tewksbury, Massachusetts, foi morta durante o tiroteio, confirmou a mãe à CNN. Descrita como “uma mulher linda por dentro e por fora”, Rhonda LeRocque “era uma grande mãe, mulher, tia, filha, irmã e trabalhadora”. Era testemunha de Jeová e muito ativa na comunidade religiosa a que pertencia. Adorava o Hawai, a Disney e música “country”.

Carrie Barnette

Trabalhava num dos parques temáticos da Disney, conforme anunciou Robert Iger, CEO da empresa. Funcionária há 10 dez, Carrie Barnette foi descrita como “uma mulher muito amada pelos amigos e família”. Além de Carrie, outra funcionária da Disney — a atriz Jessica Milam — está neste momento em estado grave no hospital.

Charleston Hartfield

Era um polícia de Las Vegas e membro das forças armadas. Tinha sido enviado para o concerto no casino Mandalay Bay quando o tiroteio começou. Charleston Hartfield, que era treinador de futebol numa equipa juvenil em Las Vegas e pai de uma criança, tinha acabado de publicar um livro chamado “Memórias de um Funcionário Público”.

Jessica Klymahuk

Era uma mãe solteira de quatro crianças que vivia em Valleyview e que tinha ido a Las Vegas com o noivo, Brett Irla.

Adrian Murfitt

Era um festivaleiro por natureza, tinha 35 anos e era natural do Alasca. Depois de ter passado três meses num barco de pesca de salmão em alto mar, Adrian Murfitt decidiu ir com Las Vegas com um amigo assistir ao concerto junto ao casino Mandalay Bay. Tinha dois cães, adorava jogar hóquei e era conhecido por “engenhocas” por gostar de arranjar coisas. O amigo tentou reanimá-lo, mas sem sucesso.

John Phippen

Estava no festival de música “country” com o filho, Travis. Quem estava perto deles diz que John Phippen morreu porque se atirou para cima do filho para que ele não fosse atingido pelas balas. Quando percebeu que o pai estava morto, Travis levantou-se e foi baleado no braço. Ainda assim, quando o tiroteio terminou, permaneceu no local para ajudar os feridos.

Quinton Robbins

Era o mais velho de três irmãos, membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, estudante na Universidade de Nevada e amante de pesca e música. Terá sido das primeiras pessoas a serem atingidas: a namorada, que estava com ele no concerto, pensou que ele tinha caído porque tinha os níveis de glicose demasiado elevado. Quando se baixou para o ajudar percebeu que Quinton tinha sido baleado.

Dana Gardner

Tinha 52 anos e era funcionária pública em San Bernardino “há muito tempo”, disse o município em comunicado. Foi descrita como “uma pessoa de trato fácil e muito dedicada”. Havia outros quatro trabalhadores no local, encontram-se feridos.

Jessica Klymchuk

Tinha quatro filhos e vivia em Edmonton, Alberta. Era assistente educacional, bibliotecária e motorista de um autocarro escolar em St Stephen’s School. Um colega diz que “fez muito, fez tudo mesmo, pelos alunos” com quem convivia.

Denise Burditus

Natural de Martinsville, do estado de West Virginia, foi uma das primeiras cinco vítimas a ser identificadas. Foi o marido que, no Facebook, anunciou a morte da mulher, que estava prestes a ter um neto. Tinha dois filhos.

Chris Roybal

Tinha 28 anos e era um militar reformado que tinha estado no Afeganistão. Estava em Las Vegas a celebrar o aniversário com a mãe, que sobreviveu. No Facebook, Chris Roybal costumava partilhar publicações sobre a experiência em campo de guerra. Morreu atingido por uma bala no concerto junto ao casino.

Thomas Day Jr.

Era um construtor civil de 54 anos de Riverside, estado da Califórnia. Estava em Las Vegas com os quatro filhos, todos com entre 20 e 30 anos.