Depois de ter detetado situações de potencial sobredosagem de insulina, a empresa Medtronic Portugal iniciou, a 11 de setembro, a recolha voluntária, ainda em marcha, de lotes específicos dos conjuntos de perfusão MiniMed utilizados com as bombas de insulina.

O Infarmed, em comunicado publicado na segunda-feira no seu site, explica que “estas situações, que ocorreram pouco depois da substituição dos conjuntos de perfusão, podem ser causadas pelo derrame de fluidos (insulina, álcool ou água) durante o processo de purga/preenchimento do cateter, levando ao bloqueio da membrana do conjunto de perfusão” e adianta que “os conjuntos de perfusão abrangidos por esta recolha serão substituídos por outros que possuem uma membrana produzida num material novo e melhorado, o qual reduz significativamente este risco”.

A empresa já veio esclarecer que “esta recolha não inclui bombas de insulina ou sensores de glicose” e que “desde o dia 11 de setembro que todos os envolvidos estão informados sobre esta situação”, sendo que “em Portugal, cerca de 90% dos conjuntos afectados já foram recolhidos”.

“A Medtronic tem estado a trabalhar em conjunto com os hospitais, os profissionais de saúde e com as autoridades de saúde de todos os países, nomeadamente o Infarmed, bem como com os doentes no sentido de garantir que os cateteres com o componente descontinuado são devolvidos e substituídos, sem qualquer custo associado, por novos cateteres (conjuntos de perfusão) atualizados.”

A sobredosagem de insulina pode provocar situações de hipoglicemia, o que implica a necessidade de intervenção médica e, em situações extremas, pode constituir risco de vida, alerta a Autoridade do Medicamento.

Quem possui bombas de insulina deve consultar o site da empresa (https://www.medtronic-diabetes-look.com/pt_pt/check) para perceber se o conjunto de perfusão que tem em casa pertence aos lotes afetados.

O Infarmed diz aos doentes que se possuírem conjuntos de perfusão afetados e outros não afetados utilizem apenas os não afetados “na próxima substituição”. “Se possuir apenas conjuntos afetados, siga cuidadosamente as instruções de utilização (em anexo) relativas ao processo de purga/preenchimento do cateter até à substituição do conjunto.”

E para a substituição dos conjuntos afetados, o doente deve contactar o Centro de Tratamento que lhe atribui os sistemas ou a entidade onde habitualmente os adquire. Não precisa sequer de devolver, poderá simplesmente eliminá-los.