Quer o Tesla Model S quer o Model X começaram a ser entregues aos clientes depois do previsto. E o arranque da respectiva produção teve, em qualquer um dos casos, uma curva de crescimento inferior ao inicialmente projectado e anunciado. Mas, ainda assim, os clientes não reclamaram e poucos foram os que desistiram das encomendas. Agora, chegam notícias sobre o Model 3, que parecem confirmar a “regra” e não a excepção.

Vale a pena? Tudo o que quer saber sobre o Model 3

O mais acessível modelo da gama do construtor americano de automóveis eléctricos deveria, de acordo com o anúncio da própria Tesla, atingir as 1.500 unidades produzidas no final do mês de Setembro. Sabe-se agora que desse milhar e meio, o fabricante apenas conseguiu produzir 260. Ou seja, um desvio de quase 83% face aos planos da marca.

A Tesla não adianta quando é que o ritmo de produção vai ser recuperado, e também não avança com a forma como pretende resolver os problemas das suas linhas de produção que estarão na origem deste atraso.

Recorde-se que o Model 3 foi, de certa forma, apresentado como a “tábua de salvação” para uma marca que, desde que surgiu, acumula prejuízos. A Tesla é, desde sempre, deficitária, mas isso não parece incomodar a bolsa nem os accionistas, com as acções da marca de Palo Alto a continuarem a ser encaradas com um óptimo investimento, apesar das derrapagens nas metas.