Um comediante interrompeu a primeira-ministra, Theresa May, para lhe “entregar a demissão” durante o seu discurso, esta quarta-feira, na conferência anual do Partido Conservador.

[jwplatform CI7nWT1E]

Simon Brodkin, também conhecido como Lee Nelson, dirigiu-se ao palco onde May discursava e entregou-lhe um P45, um formulário que descreve quanto o funcionário pagou de impostos naquele ano fiscal e que é dado pela empresa quando termina o contrato, explica o The Sun.

No documento “Detalhes de um funcionário a sair do emprego”, lê-se o nome da primeira-ministra e os motivos do despedimento: “Nem forte, nem estável” e “Estamos um bocadinho preocupados com o Jezza [alcunha de Jeremy Corbyn, líder dos trabalhistas]”.

A morada, “10 Downing Street, Londres” — residência oficial do primeiro-ministro do Reino Unido — e na caixa sobre sobre “total de impostos [pagos] até ao momento”, lê-se: “Perguntem ao Phillip [May, o marido de Theresa May]”.

Já no final, o nome do empregador, “Casa dos Comuns, Londres”, e a assinatura de quem pediu o formulário, Boris Johnson, o ministro dos Negócios Estrangeiros.

“O Boris [Johnson, ministro dos Negócios Estrangeiros] pediu-me para lhe dar isto”, disse Brodkin, de braço esticado com o documento na mão. A primeira-ministra, sem nunca interromper o seu discurso, recebeu o papel e colocou-o no chão.

O comediante foi depois ter com Boris Johnson, que estava na primeira fila, com quem falou um pouco antes de ser arrastado pelos seguranças para fora da sala — altura em que May interrompe o discurso. “Boris, apoia-me por favor”, disse antes de sair.

Já com o comediante fora da sala, May retomou o discurso referindo uma pessoa a quem gostaria de dar um P45, ou seja, que gostaria de despedir. “Estava prestes a falar sobre alguém a quem gostaria de dar um P45, e é o Jeremy Corbyn.”