Há uma nova acusação de violação contra Roman Polanski. A alemã Renate Langer, de 61 anos, diz ter sido violada pelo realizador norte-americano quando tinha 15 anos, numa casa em Gstaad (Suíça) em fevereiro de 1972.

Segundo o New York Times, Langer começou a trabalhar como modelo numa agência em Munique e refere ter conhecido o realizador, atualmente com 84 anos, quando viajou até Gstaad para fazer uma audição para um dos seus filmes. A alemã afirmou ainda que não contou nada aos pais da violação porque isso os iria magoar.

Segundo a própria, Polanski ligou-lhe cerca de um mês depois a pedir desculpa pelo sucedido e ofereceu-lhe um papel no filme “Che?”. Uma proposta que Langer aceitou depois do realizador se comprometer a tratá-la com profissionalismo. Em Roma, onde o filme foi rodado, foi novamente violada por Polanski.

A polícia suíça está a investigar a queixa apresentada pela ex-atriz, que prestou declarações no passado dia 26 de setembro, refere o jornal inglês The Guardian. O advogado do realizador norte-americano não quis comentar as acusações.

É a quarta acusação de violação de menores contra Roman Polanski. O caso mais mediático é o de Samantha Gailer Geimer, que foi embriagada, drogada e violada pelo realizador quando tinha 13 anos. Esteve preso durante 42 dias, em 1977, mas acabou por fugir dos EUA antes de ouvir a sentença do juiz — que iria prologar o tempo de prisão. Vive atualmente em França, passando algum tempo também na Suíça e na Polónia.

Em 2010, foi novamente acusado de violação. Desta vez por parte da atriz britânica Charlotte Lewis, que na altura tinha 16 anos. A terceira acusação apareceu em agosto deste ano. Robin M. disse ter sido violada por Polanski em 1973, quando tinha 16 anos.

Resta saber até que avançará com a queixa, tendo em conta que o crime ocorreu há vários anos. Ainda que a Suíça tenha eliminado a questão da prescrição nos casos de abusos sexuais de menores. Tudo irá depender do procurador em Berna que ficar com o caso, referiu a polícia suíça.