O Tribunal Constitucional espanhol decidiu esta quinta-feira suspender de forma cautelar a sessão do Parlamento da Catalunha da próxima segunda-feira, dia 9. Desta forma, e ao admitir o recurso apresentado pelo PSC (Partit del Socialistes de Catalunya), consegue evitar a hipótese de uma declaração unilateral de independência.

De acordo com o El País, o Tribunal Constitucional utilizou como argumento que “declarar a independência seria uma quebra da Constituição e uma aniquilação dos direitos dos deputados”. O El Mundo acrescenta ainda que a decisão, que deverá motivar mais reações por parte das forças independentistas catalãs, foi tomada por unanimidade.

Recorde-se que, no seguimento das declarações de Carles Puigdemont, presidente da Generalitat, onde anunciou a vontade de “materializar” os resultados e os efeitos do referendo na sessão de segunda-feira , o PSC invocou como recurso o artigo 56.6 da Lei Orgânica do Tribunal Constitucional.

Esta quarta-feira, o Junts Pel Si e o CUP tinham pedido uma sessão plenária para discutir os resultados do referendo de 1 de outubro, ficando assim marcada para a próxima segunda-feira.