Carles Puigdemont, o presidente da Generalitat catalã, quer ir ao Parlamento regional na terça-feira, depois de o Tribunal Constitucional espanhol ter decidido ontem suspender de forma cautelar a sessão do Parlamento da Catalunha da próxima segunda-feira, dia 9, evitando a hipótese de uma declaração unilateral de independência.

Por unanimidade, o Tribunal Constitucional utilizou como argumento que “declarar a independência seria uma quebra da Constituição e uma aniquilação dos direitos dos deputados”. Ficou, assim, suspensa a sessão plenária de segunda-feira. Mas Carles Puigdemont não baixa os braços e pediu, esta sexta-feira, para comparecer no parlamento na terça-feira.

A confirmar-se, a sessão começa às 15h30, 14h30 em Lisboa.

A intenção declarada na carta de Puigdemont fala apenas numa sessão para “informar sobre a situação política atual”. Não é feita qualquer referência direta ao referendo de domingo ou a qualquer iniciativa concreta, como seria tentar passar uma proposta de declaração de independência.