Etta Ng é filha de Jackie Chan, o quinto ator mais bem pago de 2017. Numa publicação pública na passada quinta-feira, na sua conta de Instagram, Etta assumiu ser lésbica. Apesar de ser uma situação normal, “sair do armário” ainda é um assunto tabu na China, onde apenas 6% das mulheres lésbicas o são abertamente (dados de 2015) , como refere o El País, citando o The Economist. A notícia ganhou relevo por Jackie Chan não ter nenhuma relação com a filha, que é fruto de um caso de traição no passado do ator.

https://www.instagram.com/p/BZ276Nnn1Ar/?hl=pt&taken-by=stolenmilktea

No mesmo dia, a namorada da filha de Chan, Andi Autumn, que tem quase 100 mil seguidores no Instagram, fez uma partilha a anunciar a relação, com bastante mais reações por parte dos utilizadores da rede. Etta, que tinha inicialmente na sua publicação escrito “no caso de ninguém ter recebido a nota, sou gay”, trocou a frase pelos hashtags #lbgtqai, #lbgt e #androgynous, tudo palavras de apoio aos direitos LBGT (Lésbicas, Bissexuais, Gays e Transexuais).

https://www.instagram.com/p/BZ27keaFPFq/?hl=pt&taken-by=andiautumn

Etta é filha de Jackie Chan mas nem sequer há uma fotografia dos dois juntos. O ator asiático mais conhecido de Hollywood, conheceu Elaine, a mãe de Etta, em 1998, com quem teve um breve romance. A gravidez indesejada foi anunciada em 1999, ao que Chan comentou: “Cometi um erro”. Nunca a mencionou em entrevistas e em relação à filha apenas diz: “Às vezes é melhor não falar de certas coisas. Que a natureza siga o seu curso”. Chan ainda é casado com Joan Lin (a mulher traída), com quem tem um filho.

Em 2015, Etta já havia afirmado que “ele [Jackie] não é meu pai. Não tenho nenhum sentimento por ele. É o meu pai biológico, mas não é parte da minha vida”.

Jackie Chan acaba de anunciar Rush Hour 4, a sequela da sua série de filmes de ação e comédia de grande sucesso com o ator Chris Tucker, que teve o último título em 2007. O ator continua a ser um dos mais requisitados de Hollywood, com uma fortuna avaliada em 350 milhões de dólares. Chan, em 2014, já tinha apoiado a causa LBGT num vídeo em que “sai do armário”, mas recebeu críticas por não fazer nada quanto à discriminação que os homossexuais ainda sofrem na China.