O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deverá anunciar na próxima semana que o acordo nuclear com o Irão não é do interesse dos EUA. Segundo o Washington Post, que avança a notícia citando fontes próximas da decisão, o anúncio poderá significar o primeiro passo rumo ao fim do acordo histórico alcançado durante a administração Obama e o restabelecimento das sanções impostas pelos EUA ao Irão.

[jwplatform ilGbMbbX]

Trump deverá anunciar as suas intenções num discurso no próximo dia 12 de outubro, quinta-feira, ao mesmo que deverá divulgar a sua estratégia para as futuras relações diplomáticas entre Estados Unidos e Irão. Contudo, o presidente norte-americano não deverá, para já, implementar sanções contra o irão, uma vez que essa ação revogaria de imediato o acordo nuclear.

Ainda de acordo com o Washington Post, esta intenção do presidente não estará, contudo, já completamente decidida. Além do mais, a Casa Branca não confirmou o agendamento de um discurso para o dia 12 de outubro. O que é verdade, escreve o jornal, é que o presidente Donald Trump tem até ao dia 15 deste mês para apresentar ao Congresso as suas conclusões sobre se o Irão está a seguir o acordo e sobre se o acordo é ou não do interesse nacional dos EUA.

A única declaração oficial sobre o assunto é de Michael A. Anton, o porta-voz do conselho de segurança nacional da Casa Branca, que garantiu ao jornal que “a administração está ansiosa para partilhar os detalhes da nossa estratégia para o Irão no momento apropriado”.

Ainda esta quinta-feira, o ex-presidente norte-americano Barack Obama se referiu ao acordo nuclear como um dos seus “orgulhos”, durante um fórum em São Paulo. “Um dos meus orgulhos é o acordo nuclear com o Irão, negociamos com o Irão, um país com grandes diferenças com os Estados Unidos e problemas exportados para outros países, um governo que era um adversário e, no entanto, acreditávamos que era necessário resolver um problema específico e garantir que não desenvolvessem armas nucleares”, disse Obama.