A polícia dinamarquesa anunciou este sábado que foram encontrados na baía de Koge, no sul de Copenhaga, a cabeça e pernas da jornalista sueca Kim Wall, desaparecida há dois meses. Na sexta-feira, mergulhadores da Marinha da Dinamarca encontraram um saco com a roupa da jornalista e uma faca, assim como a cabeça e as pernas, ambas com bocados de metal no seu interior.

O torso de Kim Wall apareceu a flutuar no Báltico, no final de agosto, quase duas semanas depois de ter sido vista pela última vez a bordo do Nautilus, o submarino de fabrico caseiro a que se deslocou para entrevistar o inventor Peter Madsen.

Corpo sem cabeça e membros corresponde à jornalista sueca desaparecida após naufrágio de submarino

O inventor, conhecido pelos seus projetos de submarinos, está em prisão preventiva acusado de homicídio e profanação de cadáver. A polícia dinamarquesa encontrou no computador de Madsen vários vídeos com imagens de mulheres mutiladas, segundo reporta o The New York Times. O inventor alega que o PC não era dele e que era usado por todos os funcionários do laboratório.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo autópsia realizada aos novos restos mortais da jornalista, não foram encontradas lesões no crânio. Estes novos factos contrapõem a tese de Madsen que dizia que Kim tinha morrido acidentalmente quando uma escotilha do submarino a atingiu na cabeça. Além disso, a autópsia ao corpo já havia revelado que Wall foi esfaqueada 14 vezes nos genitais e no torso.

Suspeito nega ter assassinado e decapitado jornalista sueca