Nisto dos carros, especialmente os superdesportivos, não há milagres. E se você persegue o melhor desportivo do mundo, com o melhor motor de combustão de que há memória, para não estar exposto a uma bateria que ora tem carga, ora não, o melhor mesmo é preparar-se para gastar 2,5 milhões de euros. Antes de impostos. E alinhar na ‘equipa’ de Cristiano Ronaldo.

Vem isto a propósito da Bugatti, o construtor francês do Grupo Volkswagen que produz “apenas” o mais exuberante, rápido e sofisticado hiperdesportivo do mundo. Mas se ninguém coloca em causa a nobreza dos Bugatti, especialmente o Chiron, o mais recente modelo da marca e o único em produção, a realidade é que os “apetitosos” modelos do construtor obrigam tradicionalmente a um investimento considerável.

Pois bem, agora há um Bugatti por 39.000€, uma pechincha, segundo os parâmetros da marca. E, tal como o Chiron, este Bugatti ‘baratinho’ é todo construído em fibra de carbono – segundo a marca, em 95% –, partilhando outra característica com o hiperdesportivo, que é o facto de ter alma germânica, mais que não seja por ser do Grupo Volkswagen.

O Bugatti de que estamos a falar é uma bicicleta, mas não é um veículo de duas rodas qualquer, nem este preço de praticamente 40 mil euros o permitiria. Foi desenhada pela Bugatti mas produzida pelos alemães da PG, pesando menos de 5 kg, o que a transforma numa das bicicletas mais leves que você pode ter. Quanto à potência, depende da sua rapidez no pedal…