Os dois jornalistas estrangeiros e o venezuelano detidos na Venezuela enquanto realizavam uma reportagem foram libertados depois de serem presentes em tribunal, indicou este domingo o Sindicato dos Trabalhadores da Imprensa (SNTP) do país.

“Liberdade plena para os jornalistas Jesús Medina, Filippo Rossi e Roberto Di Matteo, detidos na sexta-feira em Tocorón”, declarou o SNTP através da rede social Twitter.

Os jornalistas foram detidos por agentes do Ministério Penitenciário venezuelano quando visitavam a prisão de Tocorón, situada no estado de Aragua (centro norte).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo o SNTP, Medina, Di Matteo e Rossi foram acusados de entrar com equipamento audiovisual em Tocorón sem autorização; no entanto, o organismo afirmou que o material entrou de “forma regulamentar no estabelecimento penal”.

A prisão de Tocorón é uma das penitenciárias onde ainda não se implantou o novo regime prisional venezuelano que, de acordo com o plano do Governo, tenta “pacificar” as prisões.

A comunicação social venezuelana denunciou que, a partir daquele centro prisional, se organizam sequestros, extorsão a cidadãos e se dirige o tráfico de alimentos, entre outros crimes.