A futebolista venezuelana Deyna Castellanos, o francês Olivier Giroud e o guarda-redes sul-africano Oscarine Masuluke são os finalistas do prémio Puskás, distinção que elege o melhor golo do ano, anunciou esta segunda-feira a FIFA.

Castellanos marcou o golo no campeonato do mundo de futebol feminino de sub-17, na Jordânia, entre a Venezuela e os Camarões (2-1), com um remate do meio-campo que surpreendeu a guarda-redes camaronesa Carole Mimboe.

Giroud, jogador do Arsenal, apontou o golo escolhido num jogo da liga inglesa, com o atacante a aproveitar uma jogada de contra-ataque da sua equipa e a finalizar com um pontapé acrobático, frente ao Crystal Palace (2-0).

O terceiro golo pertence a Oscarine Masuluke, guarda-redes dos Baroka FC, que marcou de pontapé de bicicleta após um mau alívio da defesa dos Orlando Pirates (1-1), nos instantes finais do jogo e depois de subir à área contrária.

A FIFA já tinha anunciado em 22 de setembro uma lista de dez candidatos a melhor golo, com a mesma a ser reduzida agora a três finalistas.

O prémio Puskas foi criado em 2009 e visa distinguir o melhor golo do ano.

Na primeira edição, o troféu foi para o português Cristiano Ronaldo, com um golo que marcou ao serviço do Manchester United contra o FC Porto (1-0), no Estádio do Dragão, na Liga dos Campeões.