Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ainda o jogo de futebol americano entre os 49ers, de São Francisco, e os Colts, de Indianapolis, não tinha começado e Mike Pence, vice-presidente americano, já estava a abandonar o estádio. Foi um “protesto ao protesto”, depois de alguns jogadores se ajoelharem durante o hino nacional. O “take a knee” (ajoelhar-se) durante o hino é um protesto à injustiça racial sentida nos EUA que tem sido usado por jogadores americanos em eventos desportivos da NFL.

É assim que as estrelas norte-americanas estão a responder aos insultos de Trump aos jogadores da NFL

“Saí este domingo do jogo dos Colt porque o Presidente e eu não vamos legitimar nenhum evento que desrespeite os nossos soldados, a nossa bandeira e o nosso hino nacional”, afirmou Pence no Twitter. Quase uma hora depois, partilhou na mesma rede social um comunicado mais extenso onde dizia que “não é pedir muito aos jogadores da NFL que respeitem a bandeira e o país”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em relação ao abandono de Pence, Donald Trump pronunciou-se na mesma rede social, dizendo que tinha pedido ao seu vice-presidente para abandonar o estádio se algum jogador se ajoelhasse. O presidente dos EUA ainda acrescentou que está “orgulhoso” por Mike Pence e a “segunda-dama” Karen Pence não terem ficado a assistir ao jogo.

Não tardaram a aparecer críticas a Pence, dizendo que todo o momento foi “orquestrado”. Segundo reporta a CNN, os jornalistas que acompanhavam Pence no evento foram proibidos de entrar no estádio e membros da comitiva disseram que “é possível que a saída do jogo seja mais breve do que o esperado”. O Senador americano do Hawai, Brian Schatz, também no Twitter, criticou o ato. O político questionou: “Esperem. Isto foi orquestrado só para mostrar? Isso não é algo barato de se fazer.” Com o vice-presidente presente, o evento teve de ter segurança extra, além das viagens para Pence ir e voltar do local de avião.

Depois de sair, Pence partilhou uma imagem onde estava de pé a ouvir o hino com a mulher.

O “take a knee” tem sido usado em vários eventos desportivos da NFL desde a eleição de Donald Trump. O chefe das forças armadas americanas chegou a pedir um boicote aos jogos da NFL a não ser que organização se pronunciasse sobre o assunto. Colin Kaepernick, jogador do 49ers que fez pela primeira o gesto de protesto, chegou a ser apelidado por Trump numa ação política no Alabama de “son of a bitch”.

Quando se soube da presença de Pence num jogo do 49ers, esperava-se que o político fosse usar o evento para uma declaração política.