Vários documentos militares da Coreia do Sul terão sido roubados por hackers da Coreia do Norte. Segundo a BBC, que cita um legislador sul-coreano, cerca de 235 gigabytes de dados terão sido roubados num ataque que ocorreu em setembro de 2016 ao centro de dados do Ministério de Defesa sul-coreano — já em maio a Coreia do Sul avançou que a Coreia do Norte estava por detrás de um ciberataque.

O ministro da Defesa não quis comentar o caso e a Coreia do Norte já veio negar as acusações. Ainda estão por identificar cerca de 80% dos dados pirateados, mas os documentos deverão incluir um plano para assassinar o líder norte-coreano, Kim Jong-un, planos de contingência desenvolvidos pelos Estados Unidos e pela Coreia do Sul, relatórios, planos para as Forças Especiais da Coreia do Sul e plantas de instalações militares.

A Coreia do Sul tem sido alvo de vários ciberataques, em particular a sites e instalações governamentais, por parte da Coreia do Norte. O seu vizinho do Norte também tem aparecido envolvido em suspeitas de vários ciberataques noutras partes do mundo.