O Porto está entre as cinco cidades favoritas para acolher Agência Europeia do Medicamento (EMA), aparecendo classificada com “performance de topo” ou “qualidade muito elevada” nas seis dimensões da avaliação, segundo um estudo divulgado esta terça-feira.

Feito pela consultora EY, a pedido da Associação Comercial do Porto (ACP), o estudo “A posição do Porto no processo de relocalização da EMA” coloca a candidatura portuguesa “entre as mais fortes” na corrida à relocalização da agência (que vai deixar o Reino Unido), juntamente com Amesterdão, Copenhaga, Estocolmo e Viena. “O Porto está em jogo para ganhar”, frisou Eurico Castro Alves, representante da Câmara do Porto na Comissão de Candidatura Portuguesa à relocalização da EMA, durante a apresentação da análise “crítica e independente” às 19 candidaturas.

Entretanto, as candidaturas das 19 cidades europeias a acolher a EMA foram avaliadas em relação aos edifícios propostos para acolher a estrutura, às acessibilidade, às escolas internacionais disponíveis para acolher os filhos dos muitos funcionários, às condições do mercado de trabalho para que as famílias se integrem na cidade, assistência médica, segurança social e ao número de agências europeias já presentes no país. O relatório foi conhecido na semana passada e apontou algumas desvantagens.