Depois de muitos rumores e meias-palavras, sinais e impressões, eis que a confirmação aí está: a Ferrari vai mesmo seguir as pisadas de alguns dos seus principais rivais e aventurar-se, também ela, no território dos Sport Utility Vehicles (SUV). Mas à sua maneira: com um modelo de estreia que, segundo o CEO da marca do Cavallino Rampante, será não um SUV, mas sim um FUV – um “Ferrari Utility Vehicle”!

Num encontro realizado esta semana, na Bolsa de Valores de Nova Iorque, Sergio Marchionne, CEO não somente da marca de Maranello, mas de todo o grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA), garantiu que a companhia “está a falar seriamente” quanto a lançar o seu primeiro FUV. Uma confissão em jeito de cambalhota para trás – afinal, quem não se lembra das suas palavras, dizendo que, só dando-lhe um tiro o fariam concordar com um SUV Ferrari?

O modelo será o único quatro portas no actual portefólio da marca italiana e será produzido, a exemplo dos restantes modelos da Ferrari, num número muito limitado de unidades, como forma de manter a exclusividade.

Temos ainda de aprender qual a melhor forma de lidar com o equilíbrio que tem de existir entre as noções de exclusividade e de escassez de produto. Sendo que, a partir daí, vamos conseguir juntar o desejo de crescimento a uma maior oferta em termos de produto”, afirmou Sergio Marchionne, em declarações reproduzidas pela CarAdvice.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta “preocupação” sugere que a Ferrari adoptará uma abordagem ligeiramente diferente de rivais como a Bentley, cujo SUV Bentayga serviu para aumentar consideravelmente a produção e as vendas. Sendo que o mesmo deverá acontecer com a Lamborghini, a qual já afirmou esperar conseguir, pelo menos, duplicar as vendas, com o Urus.

Bentayga. Vende-se que nem pãezinhos quentes

A Bloomberg escreve que a marca de Maranello deverá levar ainda cerca de 30 meses para decidir sobre os detalhes finais relativamente à produção do seu futuro FUV. Mas o mais certo é que o modelo surja com um sistema de propulsão híbrido, até para dar seguimento às informações recentes de que a marca do Cavallino Rampante pretende dedicar-se, em exclusivo, às motorizações híbridas, já a partir de 2019.