Numa altura em que jogo de consola Gran Turismo comemora 20 anos de existência, a Nissan – marca que mantém uma já longa ligação ao título, da qual resultou a criação da academia para jovens pilotos GT Academy – não quis deixar passar em claro mais este aniversário. Motivo pelo qual decidiu assinalar a data de uma forma, no mínimo, original: construindo um Nissan GT-R idêntico ao que é possível conduzir no jogo, também ele telecomandado através de um comando DualShock… Só que em tamanho real e capaz de atingir velocidades até 315 km/h!

O desafio, lançado pela Nissan e colocado em prática pela britânica JLB Design, passava por criar um automóvel telecomandado, tendo por base um GT-R verdadeiro. Mais precisamente, um R35 de 2011, com 542 cv de potência e todas as especificações de série.

Colocadas as mãos à obra, foi então necessário instalar sistemas de controlo remoto na direcção, transmissão, travões e acelerador, ao mesmo tempo que, para um melhor controlo da viatura, foram instalados seis computadores na bagageira. Função: actualizar, a todo o momento e à média de 100 vezes por segundo, a posição de todos os controlos. E isto com uma tal precisão que o sistema é capaz de medir até 65 mil posições diferentes da direcção.

[jwplatform 2Es4E3VK]

Segundo o vídeo entretanto divulgado, este Nissan GT-R superou já os 210 km/h de velocidade máxima, ainda que, tecnicamente e segundo os seus criadores, deva ser capaz de alcançar os 315 km/h. Ou seja, a mesma velocidade máxima anunciada por um GT-R, com condutor aos comandos (a bordo).

Para a apresentação desta proposta única de carro telecomandado, a Nissan escolheu um piloto da sua GT Academy, Jann Mardenborough. O hoje em dia já piloto NISMO não se coibiu de puxar pelo seu novo GT-R telecomandado, no circuito britânico de Silverstone, levando-o a fazer uma volta rápida em 1m17,47s – desafio cumprido a uma velocidade média de 122 km/h, valor não tão distante quanto isso dos 134 km/h obtidos por um Nissan GT-R, com piloto incluído.