O presidente norte-americano, Donald Trump, vai nomear Kirstjen Nielsen para o cargo de secretária do Departamento de Segurança Interna, avança o Politico, que cita fontes da Casa Branca. A mesma fonte adianta que o anúncio deverá ser oficializado ainda esta quarta-feira.

Será a primeira pessoa a dirigir o Departamento [de Segurança Interna dos Estados Unidos] que realmente já trabalhou lá”, disse uma fonte da administração Trump ao Politico.

É que Kirstjen Nielsen, de 45 anos, tem sido o braço direito de John Kelly — o secretário-geral da Casa Branca que, por sua vez, é o braço direito do presidente Trump — ao longo de vários cargos que ocupou na sua carreira. Foi chefe de gabinete do Departamento de Segurança Interna quando John Kelly era o secretário. Depois tornou-se vice-chefe de gabinete da Casa Branca quando Kelly assumiu o cargo de cargo de secretário-geral e passou a ser ela a enviar “emails que anunciam políticas internas e a marcar reuniões”, explicou o The New York Times.

Quem é o general John Kelly, novo braço direito de Donald Trump?

Nielsen é advogada e especialista em cibersegurança ou não servisse o Departamento de que será secretária para proteger os Estados Unidos de várias ameaças: desde o controlo de fronteiras a situações de emergência — quer sejam ataques terroristas ou catástrofes naturais –, passando, claro, pela cibersegurança.

Antes de se tornar o braço direito de John Kelly como chefe de gabinete do Departamento de Segurança Interna, Nielsen foi presidente da Sunesis Consulting, uma empresa de consultadoria na área da gestão de risco e segurança.

Mas há mais: a futura secretária do Departamento de Segurança Interna tem um vasto currículo na área da segurança nacional. Nielsen foi assistente especial da administração do presidente George W. Bush. Estava encarregada da prevenção, preparação e resposta do Conselho de Segurança Interna.