Sismo

Esta sexta-feira a terra vai “tremer” em Portugal

1.755

A iniciativa, intitulada 'A Terra Treme', "procura chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo".

BERND SETTNIK/EPA

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) promove esta sexta-feira — em que se assinala o Dia Internacional para a Redução de Catástrofes — um exercício público de sensibilização para o risco sísmico. A iniciativa, intitulada ‘A Terra Treme’, “procura chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que os cidadãos devem adotar em caso de sismo, mas que podem salvar vidas”, lê-se na página de Internet criada para divulgar o simulacro.

O exercício tem lugar pelas 10h13 de sexta-feira e pode ser efetuado por qualquer pessoa. Segundo explica a página, o exercício “tem a duração de apenas 1 minuto, durante o qual os participantes são convidados a executar os 3 gestos que salvam: baixar, proteger e aguardar”.

A ANPC apela ainda a todos os que pretendem participar no exercício que se registem online, para que se possa “acompanhar os participantes em todo o país”.

“Muitas zonas do globo são propensas a sismos e Portugal é um território com zonas particularmente sensíveis a este risco. Podemos estar em qualquer lado quando começar um sismo, mas estaremos preparados para enfrentar uma situação deste tipo e recuperar dela rapidamente?”, lê-se na mesma página.

A capital do país, Lisboa, é um dos locais com maior risco sísmico em Portugal — o Diário de Notícias escreve esta quinta-feira que Lisboa é a segunda cidade europeia com o maior risco –, o que levou a Autoridade Nacional de Proteção Civil a criar inclusivamente um plano especial de emergência para o cenário caótico em caso de sismo na área metropolitana de Lisboa.

Os barcos da Transtejo e da Soflusa e os comboios da CP e da Fertagus, por exemplo, seriam requisitados para evacuações em massa. E o aeroporto de Lisboa, em caso de necessidade, serviria para concentrar feridos e até para depositar cadáveres.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)