O Relatório e Contas da SAD do FC Porto permitiu saber mais coisas além da compra da totalidade do passe de Aboubakar. Por exemplo, que os dragões investiram 7,1 milhões de euros, quase aquilo que custou a percentagem em falta do camaronês agora resgatada (7,2 por 60%), em mais dois avançados. Um é mais conhecido: Soares, ex-V. Guimarães (5,6); outro, pelo menos para já, com menos notoriedade: Galeno, ex-Grémio Anápolis (1,5). Ponto comum a partir de hoje? Marcaram na estreia pelos azuis e brancos. Mas pode não ser o único.

Aos 19 anos, Galeno já tinha estado integrado nos trabalhos da equipa A durante a pré-temporada, tendo sido um dos destaques da digressão dos portistas pelo México depois de ter feito um total de 13 golos em 40 jogos que convenceram os azuis e brancos a comprarem o passe ao Grémio Anápolis. Antes, o avançado (surge muitas vezes em zonas de finalização mas partindo sempre da esquerda do ataque), o brasileiro nascido no Maranhão (Barra da Corda) tinha passado por Brasília e por Goiânia, onde brilhou pelo modesto Trindade. Teve a hipótese de se destacar na Europa, agarrou essa chance e confirmou hoje a oportunidade de Sérgio Conceição, que o lançou ao intervalo (e além de marcar um golo, ainda conseguiu falhar outro de baliza aberta…).

Curiosamente, o brasileiro substituiu aquele que gostaria de “imitar”, Brahimi. Ídolo de Neymar e Ronaldinho Gaúcho, é no argelino que Galeno tem a principal inspiração, pelo estilo de jogo rendilhado, técnico e em velocidade que acredita assemelhar-se mais ao perfil de jogador que é. “Quero ser conhecido em todo o mundo, mas, a curto prazo, o meu objetivo é pisar o Estádio do Dragão com a camisola da equipa principal. Deve ser muito gratificante. E, claro, ajudar a equipa a vencer com golos meus”, referiu à revista Dragões, onde disse também admirar… Soares. “Depois há os ídolos como Neymar e Ronaldinho Gaúcho, que têm o tipo de futebol que tem o Brahimi. Vejo muitos vídeos deles e procuro tentar fazer o mesmo”.

De acrescentar que, além de Galeno, outros jovens da equipa B tiveram esta noite a oportunidade de se estrearem pela equipa principal frente ao Lus. Évora (além de Diogo Dalot, que apesar de andar a jogar sobretudo na formação secundária orientada por Folha, é considerado como elemento do conjunto A): Luizão, médio ofensivo brasileiro de 19 anos que chegou esta temporada da equipa Sub-20 do São Paulo (e que esta noite teve um cabeceamento à trave), e Jorge Fernandes, central de 20 anos que fez toda a formação nos dragões e esteve presente no último Mundial Sub-20.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR