O centro do furacão Ophélia está a afastar-se dos Açores, mas continua a condicionar o estado do tempo nas ilhas de Santa Maria e de São Miguel, anunciou este domingo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em comunicado, o IPMA adiantou que às 21h00 locais de sábado (mais uma hora em Lisboa), o centro do ciclone, designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões de categorias 1 a 5, localizava-se a 146 quilómetros a sudeste de Santa Maria, “com deslocamento para nordeste a 44 quilómetros/hora”.

Embora o centro do furacão se esteja a afastar do arquipélago, este continua “a condicionar o estado do tempo” nestas duas ilhas do grupo oriental, adianta o IPMA, motivo pelo qual se mantém o alerta.

“O ciclone Ophelia está classificado como furacão de categoria 3 com vento médio de 185 quilómetros/hora e rajadas e 220 quilómetros/hora na sua zona mais ativa”, adianta o comunicado, disponibilizado na página da rede social Facebook da delegação regional dos Açores do IPMA.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Às 22h00 de sábado registaram-se 52 milímetros de precipitação acumulados em seis horas na ilha do Pico, do grupo central dos Açores, e 43 milímetros no Nordeste, em São Miguel. A aproximação do furacão Ophelia levou o IPMA a emitir vários avisos meteorológicos.

O chefe do Governo Regional, Vasco Cordeiro, acompanhou o evoluir da situação no Palácio de Santana, sede da presidência do executivo açoriano, desde as 18h00 de sábado, quando entrou em vigor o aviso vermelho do IPMA.

Segundo fonte da presidência, Vasco Cordeiro tem estado também em contacto telefónico com presidentes de câmara de São Miguel e Santa Maria, assim como com o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores. Em Santa Maria, permanecem os secretários regionais da Saúde, Rui Luís, que tutela a Proteção Civil, e dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha.

O presidente da Proteção Civil regional, tenente-coronel Carlos Neves, adiantou à Lusa que foram registadas 11 ocorrências “de pouca relevância”, exemplificando com quedas de árvores, obstrução de vias, pequenas inundações em habitações e a queda de um painel publicitário, “mas sem danos dignos de registo”.

“No grupo central [Pico, Terceira, Faial, Graciosa e São Jorge] a situação já é de normalidade e no grupo central é expectável um desagravamento do estado do tempo a partir do início da madrugada”, explicou Carlos Neves.

Segundo o mesmo, os meios mobilizados na sequência da aproximação ao arquipélago do furacão Ophelia começaram a ser desmobilizados. “De facto, dado o evoluir da situação, que se prevê vá melhorar ao longo da noite, esperamos ainda no grupo oriental alguma precipitação e rajadas de vento cuja intensidade não deverá provocar danos, vamos começar gradualmente a desmobilizar os meios”, o que teve início pela 01h00 (mais uma hora em Lisboa), afirmou o tenente-coronel Carlos Neves. O responsável assegurou, contudo, que ficarão de prevenção “os meios necessários para acorrer a alguma eventualidade”.

Proteção Civil dos Açores inicia desmobilização de meios após passagem de furacão

Carlos Neves disse no sábado que os meios mobilizados na sequência da aproximação ao arquipélago do furacão Ophelia começaram a ser desmobilizados.

“De facto, dado o evoluir da situação, que se prevê vá melhorar ao longo da noite, esperamos ainda no grupo oriental alguma precipitação e rajadas de vento cuja intensidade não deverá provocar danos, vamos começar gradualmente a desmobilizar os meios”, o que teve início pela 01:00 (mais uma hora em Lisboa), afirmou o tenente-coronel Carlos Neves.

O responsável assegurou, contudo, que ficarão de prevenção “os meios necessários para acorrer a alguma eventualidade”. A aproximação do furacão Ophelia levou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera a emitir vários avisos meteorológicos. Para o grupo oriental, ilhas de São Miguel e Santa Maria, há aviso amarelo para precipitação e agitação marítima até às 06h00 locais

Estas duas ilhas mantêm-se sob aviso laranja para vento também até às 06:00, com vento médio superior a 65 quilómetros/hora e rajadas que poderão ultrapassar os 100 quilómetros/hora, em especial na ilha de Santa Maria, passando depois daquela hora a amarelo até às 12h00.