Várias organizações realizam esta terça-feira, em Lisboa, uma vigília pela “erradicação da pobreza”, para lembrar os 2,6 milhões de pobres em Portugal e apelar ao envolvimento de todos na luta contra este flagelo.

A vigília, marcada para as 21:30 desta terça-feira junto à Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa, é organizada pela Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN) Portugal, pela associação ANIMAR, Amnistia Internacional, Comissão de Freguesias da Estrela e pela Assistência Médica Internacional (AMI).

Em declarações à agência Lusa, o presidente da EAPN Portugal, o padre Jardim Moreira, explicou que a iniciativa pretende criar “um momento público” de congregação de várias instituições que lutam contra a pobreza em Portugal, assinalando assim o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, 17 de outubro.

Durante a vigília, as instituições irão divulgar vídeos e pessoas em situação de pobreza e exclusão social irão dar o seu testemunho. No recinto, serão também colocadas velas para “lembrar todos os cidadãos portugueses da necessidade e do dever” que todos têm de corrigir a situação de injustiça em que muitos portugueses vivem.

Além da vigília, outras iniciativas marcam o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza em várias cidades do país. Em Évora, arranca a iniciativa “Pelo Combate à Pobreza e à Exclusão Social”, promovida pela EAPN Portugal, que decorre até dia 24 em todo o país.

Na mesma cidade alentejana decorre o seminário “A Concertação Estratégica no Combate à Pobreza”, promovido pela Unitate – Associação de Desenvolvimento da Economia Social. Em Braga, é inaugurada na Praça da República a exposição “Construtores de Esperança” e no Funchal, o Núcleo da Madeira do Movimento Erradicar a Pobreza realiza uma iniciativa de contacto com a população.

A Impossible – Passionate Happenings e a Cáritas Diocesana de Lisboa realizam, em Lisboa, o “Fórum My Precious – Uso das Coisas – Quando o mundo não pode ser de ninguém”, que assinala a Jornada Internacional pela Erradicação da Pobreza.

Os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística referem que, em 2016, havia 2,595 milhões de portugueses (25,1%) em risco de pobreza ou exclusão social, menos 1,5 pontos percentuais face ano anterior. Destas, 487 mil (18,8%) tinham menos de 18 anos e 468 mil (18%) tinham 65 ou mais anos, adiantam os dados, que apontam um aumento do rendimento médio disponível por família de 79 euros, passando para 1.497 euros por mês, em 2016.

O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza foi instituído pelas Nações Unidas para consciencializar sobre a necessidade de erradicar a pobreza e a miséria em todo o mundo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR