A marca espanhola Seat, com sede em Martorell, acabou por adiar o anúncio do nome do seu futuro SUV de sete lugares, inicialmente previsto para o passado dia 15 de Outubro, devido à crise política entretanto instalada entre a Catalunha e Madrid.

Isto depois de um processo que se iniciou em Junho e que acabou por apurar nove propostas, entretanto reduzidas a quatro nomes finalistas: Alborán, Aranda, Ávila e Tarraco.

Não deixa de ser curioso referir que apenas um dos quatro nomes finalistas, Tarraco, nome da antiga cidade romana que hoje em dia é conhecida por Tarragona, provém da Catalunha. Quanto aos restantes, Alborán refere-se à parte mais ocidental do Mar Mediterrâneo, junto à Andaluzia, enquanto Aranda remete para a localidade Aranda de Duero, na província de Burgos. Já Ávila é uma capital de província na região de Castilla y León.

Apurados que estão os nomes dos quatro finalistas, a decisão saía agora das mãos da Seat para passar para as dos participantes numa última votação, que deveria determinar o nome do futuro SUV. Algo que, mesmo que tenha já acontecido, a marca espanhola anuncia agora não pretender divulgar o resultado, por considerar, segundo a agência espanhola Europa Press, não ser este o melhor momento para a realização do anúncio. Ou até mesmo, acrescente-se, para outras acções de comunicação e marketing relativamente ao novo modelo.

Face à situação política em Espanha, com o Executivo catalão a ameaçar com a independência da região – hipótese que, aliás, já levou várias das maiores empresas espanholas a anunciar a transferência das respectivas sedes para outras regiões do país -, a Seat veio já garantir que, ao contrário de outras companhias, não está a pensar mudar a sua sede. Mantendo, assim, o seu peso não apenas na economia espanhola, para a qual contribui com cerca de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), mas também catalã, na qual representa cerca de 4% do PIB da região.