O Sporting tem uma longa história em jogos nas provas europeias disputados em Itália. Como daquela vez, em 1967/68, que Peres ganhou um casaco novo de um dirigente que lhe tinha prometido caso o avançado marcasse e os leões passassem a eliminatória. Ou como daquela, em 1989/90, em que Ivkovic fez uma aposta de 100 dólares com Maradona como defenderia a sua grande penalidade. Ou como daquela, em 2011/12, em que João Mário teve oportunidade de estrear-se com apenas 18 anos pelos seniores do conjunto verde e branco com a Lazio. Ponto comum entre estes jogos e o restantes dez que o clube fez em solo transalpino: nunca ganhou.

Jorge Jesus via nesta deslocação a Turim a oportunidade de quebrar mais uma tradição negativa. Como fez no Benfica, quando os encarnados ganharam pela primeira vez na Alemanha e na Suíça; como fez no Sporting, quando os verde e brancos ganharam pela primeira vez na Rússia, na Roménia e na Grécia. Terminou o jogo e não conseguiu somar a sexta malapata desfeita; ao invés, acabou por somar a pior série em Alvalade nos últimos seis jogos. E sofrendo o golo decisivo por Mandzukic, o avançado que Bas Dost mais gosta (e que substituiu no Wolfsburgo, em 2012).

À exceção do triunfo com o Oleiros para a Taça de Portugal (4-2), os leões somaram duas derrotas para a Champions (Barcelona e Juventus), dois empates para a Primeira Liga (Moreirense e FC Porto) e outra igualdade para a Taça da Liga (Marítimo). É certo que nem a continuidade na Liga dos Campeões está hipotecada (em caso de triunfo com a Juventus em casa, tudo ficará por decidir nas últimas duas rondas), mas depois de um início fortíssimo de época com o triunfo no playoff da Champions e seis vitórias no Campeonato, existe uma quebra evidente mesmo tomando em linha de conta que o valor dos adversários foi bem mais elevado nas últimas partidas.

Em paralelo, confirmou-se uma regra nos jogos fora da fase de grupos da Liga milionária desde que chegou a Alvalade: as partidas terminam sempre com a diferença mínima no resultado. Foi assim com o Real Madrid (1-2), com o B. Dortmund (0-1) e com o Legia (0-1) na temporada passada; foi assim com o Olympiacos (3-2) e com a Juventus (2-1) na presente época, onde falta ainda uma deslocação a Camp Nou na última ronda.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR