Incêndios

Câmara de Arganil pede moderação no consumo de água

A Câmara Municipal de Arganil pede moderação no consumo de água nos concelhos que já a têm, já que a falta de energia não permite restabelecer o abastecimento a algumas populações.

A Câmara de Arganil iniciou esta quinta-feira uma campanha de recolha de bens

ANDY RAIN/EPA

A Câmara de Arganil apelou esta quinta-feira ao “uso racional de água” nas povoações do concelho onde o abastecimento não foi afetado pelos incêndios ou já foi restabelecido.

Há ainda algumas populações sem abastecimento de água, devido à falta de energia”, refere a Câmara Municipal numa informação à população deste concelho do distrito de Coimbra.

A autarquia está a fazer “esforços junto das entidades competentes para que a energia seja reposta o mais rapidamente possível”, apelando ainda “ao uso racional de água nas localidades em que há abastecimento”.

Entretanto, a Câmara de Arganil iniciou esta quinta-feira uma campanha de recolha de bens para as vítimas dos incêndios no concelho.

Os bens necessários são “alimentos não perecíveis” para pessoas, alimentos para animais, roupa e calçado.

Através do Gabinete de Apoio às Vítimas dos Incêndios e da Loja Social, a Câmara recebe os bens doados na antiga Cerâmica Arganilense.

Os bens para consumo humano que podem ser entregues são essencialmente enlatados, grão, feijão, azeite, arroz, massa, sal, água, barras de cereais, bolachas, sumos e leite.

Fazem ainda falta lençóis, cobertores, mantas, pijamas, roupa interior, calçado, fraldas, toalhas de banho e produtos de higiene.

Para alimentar os animais, os serviços municipais aceitam palha e rações para porcos, galinhas, cabras e cães.

Para o efeito, o Espaço Multiusos da Cerâmica Arganilense está aberto de segunda-feira a sábado, das 09:00 às 20:00, e nas manhãs de domingo, entre as 09:00 às 13:00.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Assalto em Tancos

Tancos: é ainda pior do que parece

Bruno Cardoso Reis

Se é certo que em Portugal as Forças Armadas sempre serviram para bem mais do que fazer a guerra, hoje em dia essas outras tarefas são cada vez mais numerosas e cada vez mais vitais. 

Mulher

Go girls, go! /premium

Laurinda Alves
114

Ainda tão jovens, com pouco mais de vinte anos, todas sabem exactamente por onde querem começar e atrevem-se a dizer, como Elvira: “sou parte da geração que vai mudar o meu país!”. E nós acreditamos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)